BNCC no Ensino Fundamental II: Habilidades da área de Ciências Humanas – História

Leia livros sobre este assunto

A BNCC no Ensino Fundamental II (também conhecido por Anos Finais) da área de Ciências Humanas contempla duas disciplinas, Geografia e História.

Neste artigo será tratada a visão da BNCC para a matéria de história, se você deseja saber o que ela fala sobre Geografia, temos um artigo específico.

Para a BNCC, o ensino da disciplina de História para os alunos do Ensino Fundamental II deve ser pautado em três procedimentos básicos:

  1. O primeiro procedimento básico tange a identificação de eventos importantes da história do Ocidente, enfatizando, é claro, os acontecimentos ocorridos no Brasil. 
  2. Já o segundo procedimento concentra-se em apropriar o aluno a selecionar, compreender e refletir acerca da produção, circulação e utilização de registros e memórias da história.
  3. Enquanto o terceiro e último procedimento básico que a disciplina de História deve se fundamentar, a BNCC diz que o estudante deve reconhecer e interpretar as diferentes versões de um mesmo acontecimento, de modo a avaliar alegações e chegar às próprias conclusões.
Artefatos antigos que remetem a história

Para que os procedimentos básicos de fato ocorram, a BNCC divide o ensino da matéria de História em habilidades que o estudante deve alcançar em cada série. Veja, a seguir, quais são elas:

BNCC no Ensino Fundamental II: Habilidades de História 

Para cada série, a BNCC propõe diversas unidades temáticas que auxiliam no ensino-aprendizado de todo conteúdo. Elas se diferenciam conforme o ano em que o estudante está. 

Portanto leia quais as unidades temáticas e habilidades correspondem a cada ano do Ensino Fundamental II.

6º ANO

No sexto ano as unidades temáticas propostas pelas BNCC são: História: tempo, espaço e formas de registros; A invenção do mundo clássico e o contraponto com outras sociedades; Lógicas de organização política e Trabalho e formas de organização social e cultural.

E as habilidades são:

Identificar diferentes formas de compreensão da noção de tempo e de periodização dos processos histórico. 

Identificar a gênese da produção do saber histórico e analisar o significado das fontes que originaram determinadas formas de registro em sociedades e épocas distintas. 

Identificar as hipóteses científicas sobre o surgimento da espécie humana e sua historicidade e analisar os significados dos mitos de fundação. 

Conhecer as teorias sobre a origem do homem americano. 

Descrever modificações da natureza e da paisagem realizadas por diferentes tipos de sociedade e discutir a natureza e a lógica das transformações ocorridas. 

Identificar geograficamente as rotas de povoamento no território americano. 

Identificar aspectos e formas de registro das sociedades antigas na África, no Oriente Médio e nas Américas. 

Identificar os espaços territoriais ocupados e os aportes culturais, científicos, sociais e econômicos dos astecas, maias e incas e dos povos indígenas de diversas regiões brasileiras. 

Discutir o conceito de Antiguidade Clássica, seu alcance e limite na tradição ocidental, assim como os impactos sobre outras sociedades e culturas. 

Explicar a formação da Grécia Antiga, com ênfase na formação da pólis e nas transformações políticas, sociais e culturais. 

Caracterizar o processo de formação da Roma Antiga e suas configurações sociais e políticas nos períodos monárquico e republicano.

Associar o conceito de cidadania a dinâmicas de inclusão e exclusão na Grécia e Roma antigas

Conceituar “império” no mundo antigo, com vistas à análise das diferentes formas de equilíbrio e desequilíbrio entre as partes envolvidas. 

Identificar e analisar diferentes formas de contato, adaptação ou exclusão entre populações em diferentes tempos e espaços. 

Descrever as dinâmicas de circulação de pessoas, produtos e culturas no Mediterrâneo e seu significado. 

Caracterizar e comparar as dinâmicas de abastecimento e as formas de organização do trabalho e da vida social em diferentes sociedades e períodos.

Diferenciar escravidão, servidão e trabalho livre no mundo antigo. 

Analisar o papel da religião cristã na cultura e nos modos de organização social no período medieval. 

Descrever e analisar os diferentes papéis sociais das mulheres no mundo antigo e nas sociedades medievais.

 7º ANO

Para o sétimo ano, as unidades temáticas são: O mundo moderno e a conexão entre sociedades africanas, americanas e europeias; Humanismos, Renascimentos e o Novo Mundo; A organização do poder e as dinâmicas do mundo colonial americano e Lógicas comerciais e mercantis da modernidade.

Enquanto as habilidades são:

Explicar o significado de “modernidade” e suas lógicas de inclusão e exclusão, com base em uma concepção europeia. 

Identificar conexões e interações entre as sociedades do Novo Mundo, da Europa, da África e da Ásia no contexto das navegações e indicar a complexidade e as interações que ocorrem nos Oceanos Atlântico, Índico e Pacífico. 

Identificar aspectos e processos específicos das sociedades africanas e americanas antes da chegada dos europeus.

Identificar as principais características dos Humanismos e dos Renascimentos e analisar seus significados. 

Identificar e relacionar as vinculações entre as reformas religiosas e os processos culturais e sociais do período moderno na Europa e na América.

Comparar as navegações no Atlântico e no Pacífico entre os séculos XIV e XVI. 

Descrever os processos de formação e consolidação das monarquias e suas principais características com vistas à compreensão das razões da centralização política.

Descrever as formas de organização das sociedades americanas no tempo da conquista com vistas à compreensão dos mecanismos de alianças, confrontos e resistências. 

Analisar os diferentes impactos da conquista europeia da América para as populações ameríndias e identificar as formas de resistência. 

Analisar, com base em documentos históricos, diferentes interpretações sobre as dinâmicas das sociedades americanas no período colonial. 

Analisar a formação histórico-geográfica do território da América portuguesa por meio de mapas históricos. 

Identificar a distribuição territorial da população brasileira em diferentes épocas, considerando a diversidade étnico-racial e étnico-cultural. 

Caracterizar a ação dos europeus e suas lógicas mercantis visando ao domínio no mundo atlântico. 

Descrever as dinâmicas comerciais das sociedades americanas e africanas e analisar suas interações com outras sociedades do Ocidente e do Oriente. 

Discutir o conceito de escravidão moderna e suas distinções em relação ao escravismo antigo e à servidão medieval. 

Analisar os mecanismos e as dinâmicas de comércio de escravizados em suas diferentes fases. 

Discutir as razões da passagem do mercantilismo para o capitalismo.

 8º ANO

Já as unidades temáticas do oitavo ano são: O mundo contemporâneo: o Antigo Regime em crise; Os processos de independência nas Américas; O Brasil no século XIX e Configurações do mundo no século XIX.

E as habilidades:

Identificar os principais aspectos conceituais do iluminismo e do liberalismo e discutir a relação entre eles e a organização do mundo contemporâneo. 

Identificar as particularidades político-sociais da Inglaterra do século XVII e analisar os desdobramentos posteriores à Revolução Gloriosa. 

Analisar os impactos da Revolução Industrial na produção e circulação de povos, produtos e culturas. 

Identificar e relacionar os processos da Revolução Francesa e seus desdobramentos na Europa e no mundo. 

Explicar os movimentos e as rebeliões da América portuguesa, articulando as temáticas locais e suas interfaces com processos ocorridos na Europa e nas Américas. 

Aplicar os conceitos de Estado, nação, território, governo e país para o entendimento de conflitos e tensões. 

Identificar e contextualizar as especificidades dos diversos processos de independência nas Américas, seus aspectos populacionais e suas conformações territoriais. 

Conhecer o ideário dos líderes dos movimentos independentistas e seu papel nas revoluções que levaram à independência das colônias hispano-americanas. 

Conhecer as características e os principais pensadores do Pan-americanismo. 

Identificar a Revolução de São Domingo como evento singular e desdobramento da Revolução Francesa e avaliar suas implicações. 

Identificar e explicar os protagonismos e a atuação de diferentes grupos sociais e étnicos nas lutas de independência no Brasil, na América espanhola e no Haiti.

Caracterizar a organização política e social no Brasil desde a chegada da Corte portuguesa, em 1808, até 1822 e seus desdobramentos para a história política brasileira. 

Analisar o processo de independência em diferentes países latino-americanos e comparar as formas de governo neles adotadas. 

Discutir a noção da tutela dos grupos indígenas e a participação dos negros na sociedade brasileira do final do período colonial, identificando permanências na forma de preconceitos, estereótipos e violências sobre as populações indígenas e negras no Brasil e nas Américas.

Identificar e analisar o equilíbrio das forças e os sujeitos envolvidos nas disputas políticas durante o Primeiro e o Segundo Reinado. 

Identificar, comparar e analisar a diversidade política, social e regional nas rebeliões e nos movimentos contestatórios ao poder centralizado. 

Relacionar as transformações territoriais, em razão de questões de fronteiras, com as tensões e conflitos durante o Império. 

Identificar as questões internas e externas sobre a atuação do Brasil na Guerra do Paraguai e discutir diferentes versões sobre o conflito. 

Formular questionamentos sobre o legado da escravidão nas Américas, com base na seleção e consulta de fontes de diferentes naturezas.

Identificar e relacionar aspectos das estruturas sociais da atualidade com os legados da escravidão no Brasil e discutir a importância de ações afirmativas. 

Identificar e analisar as políticas oficiais com relação ao indígena durante o Império. 

Discutir o papel das culturas letradas, não letradas e das artes na produção das identidades no Brasil do século XIX. 

Estabelecer relações causais entre as ideologias raciais e o determinismo no contexto do imperialismo europeu e seus impactos na África e na Ásia. 

Reconhecer os principais produtos, utilizados pelos europeus, procedentes do continente africano durante o imperialismo e analisar os impactos sobre as comunidades locais na forma de organização e exploração econômica. 

Caracterizar e contextualizar aspectos das relações entre os Estados Unidos da América e a América Latina no século XIX. 

Identificar e contextualizar o protagonismo das populações locais na resistência ao imperialismo na África e Ásia. 

Identificar as tensões e os significados dos discursos civilizatórios, avaliando seus impactos negativos para os povos indígenas originários e as populações negras nas Américas.

9º ANO

Já as unidades temáticas destinadas ao último ano do Ensino Fundamental II são: O nascimento da República no Brasil e os processos históricos até a metade do século XX; Totalitarismos e conflitos mundiais; Modernização, ditadura civil-militar e redemocratização: o Brasil após 1946 e a história recente.

Enquanto as habilidades são: 

Descrever e contextualizar os principais aspectos sociais, culturais, econômicos e políticos da emergência da República no Brasil.

Caracterizar e compreender os ciclos da história republicana, identificando particularidades da história local e regional até 1954. 

Identificar os mecanismos de inserção dos negros na sociedade brasileira pós-abolição e avaliar os seus resultados. 

Discutir a importância da participação da população negra na formação econômica, política e social do Brasil. 

Identificar os processos de urbanização e modernização da sociedade brasileira e avaliar suas contradições e impactos na região em que vive. 

Identificar e discutir o papel do trabalhismo como força política, social e cultural no Brasil, em diferentes escalas. 

Identificar e explicar, em meio a lógicas de inclusão e exclusão, as pautas dos povos indígenas, no contexto republicano (até 1964), e das populações afrodescendentes.

Identificar as transformações ocorridas no debate sobre as questões da diversidade no Brasil durante o século XX e compreender o significado das mudanças de abordagem em relação ao tema. 

Relacionar as conquistas de direitos políticos, sociais e civis à atuação de movimentos sociais. 

Identificar e relacionar as dinâmicas do capitalismo e suas crises, os grandes conflitos mundiais e os conflitos vivenciados na Europa. 

Identificar as especificidades e os desdobramentos mundiais da Revolução Russa e seu significado histórico. 

Analisar a crise capitalista de 1929 e seus desdobramentos em relação à economia global. 

Descrever e contextualizar os processos da emergência do fascismo e do nazismo, a consolidação dos estados totalitários e as práticas de extermínio (como o holocausto). 

Caracterizar e discutir as dinâmicas do colonialismo no continente africano e asiático e as lógicas de resistência das populações locais diante das questões internacionais. 

Discutir as motivações que levaram à criação da Organização das Nações Unidas (ONU) no contexto do pós-guerra e os propósitos dessa organização. 

Relacionar a Carta dos Direitos Humanos ao processo de afirmação dos direitos fundamentais e de defesa da dignidade humana.

Identificar e analisar processos sociais, econômicos, culturais e políticos do Brasil a partir de 1946. 

Descrever e analisar as relações entre as transformações urbanas e seus impactos na cultura brasileira entre 1946 e 1964 e na produção das desigualdades regionais e sociais. 

Identificar e compreender o processo que resultou na ditadura civil-militar no Brasil e discutir a emergência de questões relacionadas à memória e à justiça sobre os casos de violação dos direitos humanos. 

Discutir os processos de resistência e as propostas de reorganização da sociedade brasileira durante a ditadura civil-militar. 

Identificar e relacionar as demandas indígenas e quilombolas como forma de contestação ao modelo desenvolvimentista da ditadura. 

Discutir o papel da mobilização da sociedade brasileira do final do período ditatorial até a Constituição de 1988. 

Identificar direitos civis, políticos e sociais expressos na Constituição de 1988 e relacioná-los à noção de cidadania e ao pacto da sociedade brasileira de combate a diversas formas de preconceito, como o racismo. 

Analisar as transformações políticas, econômicas, sociais e culturais de 1989 aos dias atuais, identificando questões prioritárias para a promoção da cidadania e dos valores democráticos. 

Relacionar as transformações da sociedade brasileira aos protagonismos da sociedade civil após 1989. 

Discutir e analisar as causas da violência contra populações marginalizadas.

Relacionar aspectos das mudanças econômicas, culturais e sociais ocorridas no Brasil a partir da década de 1990.

Identificar e analisar aspectos da Guerra Fria.

Descrever e analisar as experiências ditatoriais na América Latina, seus procedimentos e vínculos com o poder, em nível nacional e internacional, e a atuação de movimentos de contestação às ditaduras. 

Comparar as características dos regimes ditatoriais latino-americanos, as reformas econômicas e sociais e seus impactos. 

Descrever e avaliar os processos de descolonização na África e na Ásia. 

Analisar mudanças e permanências associadas ao processo de globalização, considerando os argumentos dos movimentos críticos às políticas globais. 

Analisar as transformações nas relações políticas locais e globais geradas pelo desenvolvimento das tecnologias digitais de informação e comunicação.

Discutir as motivações da adoção de diferentes políticas econômicas na América Latina, assim como seus impactos sociais nos países da região. 

Analisar os aspectos relacionados ao fenômeno do terrorismo na contemporaneidade, incluindo os movimentos migratórios e os choques entre diferentes grupos e culturas. 

Identificar e discutir as diversidades identitárias e seus significados históricos no início do século XXI, combatendo qualquer forma de preconceito e violência.

Essas habilidades são definidas por especialistas da educação, estes que desenvolveram um plano de educação para preparar o estudante deste século, portanto são habilidades cruciais a serem desenvolvidas dentro do contexto escolar.

Então, você como professor de História pode seguramente utilizar a BNCC para desenvolver as atividades em sala de aula, pois saberá que o conteúdo está de acordo com o que é esperado pela sociedade atual.

Agora que você já conhece as habilidades que devem ser desenvolvidas na sala de aula, descubra também quais as competências essenciais para a disciplina de história, segundo a BNCC. Veja o post: BNCC no Ensino Fundamental: Competências Específicas.

Categorias
BNCC História
O que você achou do texto acima? Gostou? Acha que pode ser útil pra mais alguém?

Se sim, eu gostaria de te pedir encarecidamente que compartilhasse, além de transmitir a informação, você ajuda no crescimento do nosso site! 😘

Kit Acelera ABC

Comentários

É muito importante saber a sua opinião. Adoramos quando você comenta, pois assim sabemos quais os rumos que devemos seguir através dos nossos artigos. Tudo o que você sugere ou comenta é avaliado para somar ao conteúdo que desenvolvemos.

Deixe uma opinião sobre o que achou do texto acima.

2 respostas para “BNCC no Ensino Fundamental II: Habilidades da área de Ciências Humanas – História”

  1. Sou professora de Ciências dos anos finais do fundamental e espero receber materiais para o meu dia a dia em sala de aula.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *