Sequência didática – Cultura africana

Leia livros sobre este assunto

PUBLICIDADE

Esta sequência didática “Brincando e aprendendo nos cabelos de Lelê”, foi elaborada para alunos do 4° ano do ensino fundamental, e tem como objetivo valorizar a cultura africana que originou a diversidade cultural que temos atualmente no Brasil.

O povo africano contribuiu muito para a formação da nossa cultura, pois eles foram trazidos ao nosso país como escravos na época do “descobrimento” do Brasil. Essa contribuição foi espalhada por todo o nosso país.

Ao selecionar os materiais para esta sequência, escolhemos o livro “O cabelo de Lelê”, da autora Valéria Belém e a coleção Marrom de Terra, de Lia Zatz.

 

Duração

Cinco aulas com duração de 50 minutos cada.

 

Público alvo

Estudantes do 4º ano do ensino fundamental.

 

Objetivo geral

Conhecer e valorizar a cultura africana que originou a diversidade cultural que temos atualmente no Brasil.

 

Objetivos específicos

  • Conhecer um pouco sobre a cultura africana;
  • Valorizar a cultura africana;
  • Explorar as possibilidades de expressão criativa dos alunos;
  • Instigar a curiosidade e a busca de conhecimentos;

 

 

ATIVIDADES PROPOSTAS: 

Atividade 1

A professora arrumará a sala com tapetes e almofadas para que os alunos fiquem a vontade. Em seguida mostrará o livro e fará algumas indagações à turma:

  • O que vocês vêem na capa do livro?
  • Que tipo de história você acha que apresenta aqui?
  • Qual o titulo da história?
  • Qual o nome da autora?
  • Qual o nome da ilustradora?

Após ler o livro a professora fará outras indagações:

  • Como é o cabelo de Lelê?
  • Quais são as características principais de Lelê?
  • Por que Lelê apresenta tais características?
  • Qual será a razão de Lelê apresentar tais características?
  • Na sala de aula existe algum colega que apresente tais características?

 

Atividade 2

Após as indagações a professora entregará a atividade abaixo para que as crianças pensem sobre si mesmas e suas características.

 

Atividade 3

 A professora dividirá a turma em 6 grupos, e cada grupo ficará com um livro da coleção Marrom de Terra, de Lia Zatz. Os grupos terão que se organizar para contar as histórias. E no final cada aluno irá escolher um personagem do livro e desenhar em uma folha A4.

 

Atividade 4

A professora conversará com os alunos sobre a influência africana no Brasil. E fará uma listagem sobre o que eles identificam enquanto herança africana: Brincadeiras, alimentação e palavras.

BRINCADEIRAS ALIMENTAÇÃO PALAVRAS
Escravos de Jó Canjica Babá
Pular corda Mingau Bagunça
Pular elástico Pirão Caçula
Pega-pega Quindim Cochilar
Queimada Tapioca Dengoso
Chicotinho queimado Acarajé Moleque
Barra-manteiga Farofa Tagarela

 

 

Atividade 5

Após a confecção da listagem. A professora levará os alunos à quadra para a realização das brincadeiras abaixo:

Escravos de Jó 

É uma brincadeira de roda guiada por uma cantiga bem conhecida, cuja letra pode mudar de região para região. Para brincar, é preciso no mínimo duas pessoas. Todos têm suas pedrinhas e no começo elas são transferidas entre os participantes, seguindo a sequência da roda. Depois, quando os versos dizem “Tira, põe, deixa ficar!”, todas seguem a orientação da música. No verso “Guerreiros com guerreiros”, a transferência das pedrinhas é retomada, até chegar ao trecho “zigue, zigue, zá!”, quando os participantes movimentam as pedras que estão em mãos para um lado e para o outro, sem entregá-las a ninguém. O jogador que erra os movimentos é eliminado da brincadeira, até que surja um único vencedor.

 

Pular corda

Preferida das meninas, tanto na versão tradicional quando nas versões diferenciadas em que a brincadeira é guiada por alguma cantiga. Além de ser divertida para o lazer, é uma atividade excelente para exercitar o coração e a coordenação motora. Pode ser praticada tanto individualmente quanto em grupo, quando duas pessoas seguram as pontas das cordas e movimenta o instrumento para que um ou mais participantes possam pular. Quem esbarrar na corda sai da brincadeira. Ou simplesmente perde, e continua!

 

Pular elástico

Outra muito apreciada pelas meninas! Para brincar, basta separar pelo menos 2 metros de elástico de roupa e dar um nó. É necessário no mínimo 3 participantes: duas para segurar o elástico e outra para pular. As duas crianças que vão segurar o elástico ficam em pé, frente a frente, e colocam o elástico em volta dos tornozelos para formar um retângulo. O participante da vez faz uma sequência de saltos: pula para dentro, sobre e para fora do elástico, tentando completar a tarefa sem tropeçar. O grau de dificuldade aumenta ao longo da disputa: o elástico ainda deve subir do tornozelo para o joelho, cintura, tronco e pescoço. Dependendo da altura das crianças, o jogo vai ficando impraticável, mas é o desafio que estimula a brincadeira!

 

Atividade 6 

Promover na escola uma exposição sobre a influência africana no Brasil, através das brincadeiras e dos desenhos feitos em sala de aula. A professora deverá separar a turma em 3 grupos, sendo cada um responsável por um tema:

  • Pula corda (como é realizada a brincadeira + fotos)
  • Escravos de Jó (como é realizada a brincadeira + fotos)

  • Pula elástico (como é realizada a brincadeira + fotos)

 

Avaliação

Os alunos serão avaliados conforme sua participação e colaboração nas atividades desenvolvidas.

 

Autoras: Ádina Rayane Camargo e Adriana Siqueira


Gostou do conteúdo? Receba nossos artigos e materiais, semanalmente, direto no seu email.


Você tem interesse em planos de aula, atividades com datas comemorativas, músicas infantis, jogos e brincadeiras, tudo isso pronto para você baixar e adaptar?


EU QUERO!

Comentários

Carregando comentários...

Material relacionado