fbpx

Habilidades da BNCC: Ciências Humanas e Sociais no Ensino Médio

Ciências Humanas

A BNCC do Ensino Médio na área de Ciências Humanas e Sociais tem mais disciplinas se comparado ao Ensino Fundamental, tanto dos Anos Iniciais quanto dos Anos Finais.

As disciplinas que compõem a área são: 

  • Filosofia,
  • Geografia,
  • História,
  • Sociologia. 

Essas quatro matérias em geral querem garantir o entendimento e reconhecimento das diferenças, o respeito e a interculturalidade, bem como combater preconceitos.

Para que isso ocorra, os professores do Ensino Médio dessas disciplinas devem focar no desenvolvimento de diálogos, exploração de conceitos e metodologias da área, elaboração de argumentos e hipóteses. 

O documento da BNCC cita que a direção do ensino desta área deve ser o desafio de dialogar com o Outro e com as novas tecnologias. A BNCC diz também que o uso da tecnologia é um ambiente de disseminação tanto negativa quanto positiva sobre essas questões, e, portanto, o estudante deve ser capaz de analisar e fazer uso consciente e crítico dessas tecnologias, explorando o que há de melhor nesses meios.

Os docentes dessas disciplinas precisam também se atentarem quanto a desenvolverem situações que promovam o protagonismo infantil, de modo que eles sejam capazes de impulsionar diversos discursos, considerar os trabalhos realizados em campo e entender as diversas formas de registros, a fim de resolver problemas gerais.

Ciências Humanas

BNCC no Ensino Médio: Habilidades de Ciências Humanas

O documento da BNCC organiza a área de Ciências Humanas para o Ensino Médio de maneira diferente que a do Ensino Fundamental Anos Iniciais e Anos Finais.

A separação do documento não se dá por séries ou habilidades, mas pela competência específica. Para cada competência específica que o estudante deve alcançar existem diversas habilidades.

Competência Específica 1

A primeira competência estabelecida pela BNCC diz respeito à necessidade de o estudante estar pronto para observar processos dos âmbitos econômicos, sociais, ambientais, políticos e culturais, tanto no nível local, regional, nacional como mundial e de diferentes períodos, a fim de compreender e obter um posicionamento crítico.

Habilidades para alcançar a competência 1

Identificar, analisar e comparar diferentes fontes e narrativas expressas em diversas linguagens, com vistas à compreensão de ideias filosóficas e de processos e eventos históricos, geográficos, políticos, econômicos, sociais, ambientais e culturais. 

Identificar, analisar e discutir as circunstâncias históricas, geográficas, políticas, econômicas, sociais, ambientais e culturais de matrizes conceituais, avaliando criticamente seu significado histórico e comparando-as a narrativas que contemplem outros agentes e discursos. 

Elaborar hipóteses, selecionar evidências e compor argumentos relativos a processos políticos, econômicos, sociais, ambientais, culturais e epistemológicos, com base na sistematização de dados e informações de diversas naturezas.

Analisar objetos e vestígios da cultura material e imaterial de modo a identificar conhecimentos, valores, crenças e práticas que caracterizam a identidade e a diversidade cultural de diferentes sociedades inseridas no tempo e no espaço. 

Identificar, contextualizar e criticar tipologias evolutivas e oposições dicotômicas, explicitando suas ambiguidades. 

Utilizar as linguagens cartográfica, gráfica e iconográfica, diferentes gêneros textuais e tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas sociais, incluindo as escolares, para se comunicar, acessar e difundir informações, produzir conhecimentos, resolver problemas e exercer protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva.

Competência Específica 2

Outra competência estabelecida pela BNCC é a capacidade de observar como se forma os territórios  e fronteiras, nos diferentes tempos e espaços existentes, de forma a entender a relação de poder que essas territorialidades determinam, além de analisar qual o papel geopolítico dos Estados-nações.

Habilidades para alcançar a competência 2

Analisar e caracterizar as dinâmicas das populações, das mercadorias e do capital nos diversos continentes, de modo a compreender e posicionar-se criticamente em relação a esses processos e às possíveis relações entre eles. 

Analisar e avaliar os impactos das tecnologias na estruturação e nas dinâmicas de grupos, povos e sociedades contemporâneos, bem como suas interferências nas decisões políticas, sociais, ambientais, econômicas e culturais. 

Comparar os significados de território, fronteiras e vazio em diferentes sociedades, contextualizando e relativizando visões dualistas.

Comparar e avaliar os processos de ocupação do espaço e a formação de territórios, territorialidades e fronteiras, identificando o papel de diferentes agentes e considerando os conflitos populacionais, a diversidade étnico-cultural e as características socioeconômicas, políticas e tecnológicas. 

Observar a produção de diferentes territorialidades em suas dimensões culturais, econômicas, ambientais, políticas e sociais, no Brasil e no mundo contemporâneo, com destaque para as culturas juvenis. 

Analisar a ocupação humana e a produção do espaço em diferentes tempos, aplicando os princípios de localização, distribuição, ordem, extensão, conexão, arranjos, casualidade, entre outros que contribuem para o raciocínio geográfico.

Competência Específica 3

Outra competência que deve ser desenvolvida em sala de aula é a capacidade de averiguar e avaliar as ligações de diversos grupos, sociedades e povos, de modo que os estudantes façam propostas com alternativas que respeitam a consciência, o consumo responsável e a ética socioambiental.

Habilidades para alcançar a competência 3

Problematizar hábitos e práticas individuais e coletivos de produção, reaproveitamento e descarte de resíduos em metrópoles, áreas urbanas e rurais, e comunidades com diferentes características socioeconômicas, e elaborar e/ou selecionar propostas de ação que promovam a sustentabilidade socioambiental, o combate à poluição sistêmica e o consumo responsável. 

Analisar e avaliar criticamente os impactos econômicos e socioambientais de cadeias produtivas ligadas à exploração de recursos naturais e às atividades agropecuárias em diferentes ambientes e escalas de análise, considerando o modo de vida das populações locais, suas práticas agroextrativistas e o compromisso com a sustentabilidade. 

Debater e avaliar o papel da indústria cultural e das culturas de massa no estímulo ao consumismo, seus impactos econômicos e socioambientais, com vistas à percepção crítica das necessidades criadas pelo consumo e à adoção de hábitos sustentáveis. 

Analisar os impactos socioambientais decorrentes de práticas de instituições governamentais, de empresas e de indivíduos, discutindo as origens dessas práticas, selecionando, incorporando e promovendo aquelas que favoreçam a consciência e a ética socioambiental e o consumo responsável. 

Analisar e discutir o papel e as competências legais dos organismos nacionais e internacionais de regulação, controle e fiscalização ambiental e dos acordos internacionais para a promoção e a garantia de práticas ambientais sustentáveis. 

Contextualizar, comparar e avaliar os impactos de diferentes modelos socioeconômicos no uso dos recursos naturais e na promoção da sustentabilidade econômica e socioambiental do planeta.

Competência Específica 4

A quarta competência que precisa ser explorada no ambiente escolar, mais especificamente aos anos finais da Educação Básica, na área de Ciências da Natureza, é a de examinar as relações de produção,  capital e trabalho presentes nos diferentes ambientes, contextos e culturas. De forma a discutir qual a finalidade dessas relações no desenvolvimento e na transformação das sociedades.

Habilidades para alcançar a competência 4

Identificar e analisar as relações entre sujeitos, grupos, classes sociais e sociedades com culturas distintas diante das transformações técnicas, tecnológicas e informacionais e das novas formas de trabalho ao longo do tempo, em diferentes espaços e contextos. 

Analisar e comparar indicadores de emprego, trabalho e renda em diferentes espaços, escalas e tempos, associando-os a processos de estratificação e desigualdade socioeconômica.

Caracterizar e analisar os impactos das transformações tecnológicas nas relações sociais e de trabalho próprias da contemporaneidade, promovendo ações voltadas à superação das desigualdades sociais, da opressão e da violação dos Direitos Humanos. 

Identificar e discutir os múltiplos aspectos do trabalho em diferentes circunstâncias e contextos históricos e/ou geográficos e seus efeitos sobre as gerações, em especial, os jovens, levando em consideração, na atualidade, as transformações técnicas, tecnológicas e informacionais.

Competência Específica 5

A penúltima competência específica se refere à necessidade de localizar e lutar contra as diferentes maneiras de injustiça, violência e preconceito, de modo a adotar fundamentos éticos, democráticos, solidários e inclusivos.

Habilidades para alcançar a competência 5

Analisar os fundamentos da ética em diferentes culturas, tempos e espaços, identificando processos que contribuem para a formação de sujeitos éticos que valorizem a liberdade, a cooperação, a autonomia, o empreendedorismo, a convivência democrática e a solidariedade. 

Analisar situações da vida cotidiana, estilos de vida, valores, condutas etc., desnaturalizando e problematizando formas de desigualdade, preconceito, intolerância e discriminação, e identificar ações que promovam os Direitos Humanos, a solidariedade e o respeito às diferenças e às liberdades individuais. 

Identificar diversas formas de violência, suas principais vítimas, suas causas sociais, psicológicas e afetivas, seus significados e usos políticos, sociais e culturais, discutindo e avaliando mecanismos para combatê-las, com base em argumentos éticos. 

Analisar e avaliar os impasses ético-políticos decorrentes das transformações culturais, sociais, históricas, científicas e tecnológicas no mundo contemporâneo e seus desdobramentos nas atitudes e nos valores de indivíduos, grupos sociais, sociedades e culturas.

Competência Específica 6

A última, mas não menos importante competência específica que deve ser adquirida pelos discentes trata-se da necessidade de fazer parte de debate público de maneira crítica, mas respeitando as diferentes opiniões explicitadas.

Habilidades para alcançar a competência 6

Identificar e analisar as demandas e os protagonismos políticos, sociais e culturais dos povos indígenas e das populações afrodescendentes no Brasil contemporâneo considerando a história das Américas e o contexto de exclusão e inclusão precária desses grupos na ordem social e econômica atual, promovendo ações para a redução das desigualdades étnico-raciais no país. 

Identificar e caracterizar a presença do paternalismo, do autoritarismo e do populismo na política, na sociedade e nas culturas brasileira e latino-americana, em períodos ditatoriais e democráticos, relacionando-os com as formas de organização e de articulação das sociedades em defesa da autonomia, da liberdade, do diálogo e da promoção da democracia, da cidadania e dos direitos humanos na sociedade atual. 

Analisar a formação de diferentes países, povos e nações e de suas experiências políticas e de exercício da cidadania, aplicando conceitos políticos básicos.

Discutir o papel dos organismos internacionais no contexto mundial, com vistas à elaboração de uma visão crítica sobre seus limites e suas formas de atuação nos países, considerando os aspectos positivos e negativos dessa atuação para as populações locais. 

Analisar os princípios da declaração dos Direitos Humanos, recorrendo às noções de justiça, igualdade e fraternidade, identificar os progressos e entraves à concretização desses direitos nas diversas sociedades contemporâneas e promover ações concretas diante da desigualdade e das violações desses direitos em diferentes espaços de vivência, respeitando a identidade de cada grupo e de cada indivíduo. 

Analisar as características socioeconômicas da sociedade brasileira e propor medidas para enfrentar os problemas identificados e construir uma sociedade mais próspera, justa e inclusiva, que valorize o protagonismo de seus cidadãos e promova o autoconhecimento, a autoestima, a autoconfiança e a empatia.

Agora você já sabe quais são as habilidades e competências específicas que a BNCC reserva aos estudantes do Ensino Médio da área de Ciências Humanas.
Quer aplicá-las em sala de aula de imediato? Então veja os planos de aula e os materiais pedagógicos prontos e disponíveis para download aqui do site. Eles estão em consonância com os requisitos da BNCC.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conheça o nosso conjunto de 10 cadernos de alfabetização que vão reduzir o tempo de aprendizado dos seus filhos e alunos.
INCLUSO BÔNUS INCRÍVEL!
Conheça o nosso conjunto de 10 cadernos de alfabetização que vão reduzir o tempo de aprendizado dos seus filhos e alunos.
INCLUSO BÔNUS INCRÍVEL!