fbpx

CONTRIBUIÇÃO DA PSICOMOTRICIDADE PARA A SUPERAÇÃO DAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM


A Psicomotricidade, é uma educação que se utiliza do movimento para atingir outras aquisições mais elaboradas, como por exemplo as intelectuais.

Infelizmente a Psicomotricidade no Brasil tem sido muito mal interpretada. Muitos professores a resumem apenas na questão do movimento perfeito, ficando assim uma ciência técnica, “robotizada”.

Todas as nossas emoções são expressas em movimentos corporais. O corpo não esconde o que se passa conosco, como por exemplo podemos citar a respiração, se levamos um susto a nossa respiração fica mais ofegante.

O ser humano é uma gigantesca usina química, onde os elementos estão em contínua combustão. A nossa ação é a resposta mais fiel do que está se passando em nosso interior, físico e mental. Daí podemos afirmar que o corpo é comunicação pura, através do gesto e da ação. Quaisquer que sejam as manifestações corporais, não há como se negar que se tratam de respostas cerebrais.

Piaget ( 1968 ), analisa a importância do período sensório – motor e da motricidade para o desenvolvimento da inteligência.

Na medida em que nos desenvolvemos, nosso corpo manifesta diferentes formas de movimentos: dos mais simples e involuntários aos mais complexos e elaborados.

Quando se trabalha em escola ou outra instituição, notamos que algumas crianças são diferentes, embora tenham uma inteligência “normal”, apresentam dificuldades em determinadas tarefas escolares, são meio “desastrados”, tem dificuldade de participar de jogos, etc. Isto porque não realizam os movimentos adequados, as vezes derrubam coisas por onde passam, outras vezes são muito lentas para realizar certas atividades. Ou seja, essas crianças tem problemas psicomotores.

O professor na sala de aula deve ficar atento, e verificar se alguns alunos apresentam uma letra ilegível, ou não conseguem segurar o lápis corretamente para escrever ou manusear uma tesoura, ou ficam perdidos quando se fala a direita ou a esquerda, etc., nesses casos é que a Psicomotricidade dará a sua contribuição, pois existem alguns pré-requisitos, do ponto de vista psicomotor, para que uma criança aprenda a ler e escrever. Uma criança com esquema corporal mal trabalhado não coordena bem os movimentos e pode ter dificuldades na caligrafia.

A criança com problemas de estruturação espacial pode apresentar dificuldades na discriminação visual, incapacidade de orientar-se, ou seja, ela pode confundir a letra “b” com a letra “p” ou o número “6” com o número “9”, etc.

Pode também não ser capaz de organizar seu tempo, pois não prevê suas atividades, demorando muito a realizar uma tarefa e não conseguindo terminar outras.

Conclusão:

Todos esses fatores ligados a motricidade que comentamos acima podem se tornar problemas de aprendizagem, essas habilidades motoras começam antes mesmo do indivíduo ir para a escola. Para trabalhar o indivíduo na sua globalidade é necessário uma observação contínua do desenvolvimento da criança, pois muitas vezes se privilegia o aspecto cognitivo, esquecendo o aspecto motor e a afetividade.

Aprender, portanto subentende a tomada de consciência do corpo na sua totalidade.

Cabe a nós profissionais da área de educação, respeitarmos as limitações de certas crianças e utilizarmos jogos e brincadeiras como estratégias para melhorar a aprendizagem.

BIBLIOGRAFIA

CAMPOS, Vanessa de Borba Fayad. Apostila sobre Psicomotricidade. Mini curso da UEG Pires do Rio – Outubro/2001.

OLIVEIRA, Gislene de Campos. Contribuições da Psicomotricidade para a superação das dificuldades de aprendizagem. In: SISTO, Fermino Fernandes et col. ( orgs.). Atuação Psicopedagógica e Aprendizagem Escolar. Petrópolis: Vozes, 1996.

Autor: Thais Guerra da Costa


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *