ABNT

Pesquise na caixa abaixo.

Custom Search


SALVE ESTA MATÉRIA

carregando

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS

Fundada em 1940, a ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas – é o Órgão responsável pela normalização técnica no país, fornecendo a base necessária ao desenvolvimento tecnológico brasileiro.

É uma entidade privada, sem fins lucrativos, reconhecida como Fórum Nacional de Normalização – ÚNICO – através da Resolução n.º 07 do CONMETRO, de 24.08.1992.

É membro fundador da ISO (International Organization for Standardization), da COPANT (Comissão Panamericana de Normas Técnicas) e da AMN (Associação Mercosul de Normalização).

O QUE É NORMALIZAÇÃO

Atividade que estabelece, em relação a problemas existentes ou potenciais, prescrições destinadas à utilização comum e repetitiva com vistas à obtenção do grau ótimo de ordem em um dado contexto.

CERTIFICAÇÃO

É um conjunto de atividades desenvolvidas por um organismo independente da relação comercial com o objetivo de atestar publicamente, por escrito, que determinado produto, processo ou serviço que está em conformidade com os requisitos especificados. Estes requisitos podem ser: Nacionais, estrangeiros ou internacionais.

ABNT COMO ORGANISMO DE CERTIFICAÇÃO

A ABNT é um Organismo Nacional que oferece credibilidade internacional. Todo nosso processo de certificação está estruturado em padrões internacionais, de acordo com ISO/IEC Guia 62/1997, e as auditorias são realizadas atendendo às normas ISO 10011 e 14011, garantindo um processo reconhecido e seguro. A ABNT conta ainda com um quadro de técnicos capacitados e treinados para realizar avaliações uniformes, garantindo maior rapidez e confiança nos certificados.

O QUE SÃO NORMAS TÉCNICAS

Norma é o documento técnico que estabelece as regras e características mínimas que determinado produto, serviço ou processo deve cumprir, permitindo uma perfeita ordenação e a globalização dessas atividades ou produtos. As Normas são fatores vitais para que a evolução tecnológica nacional acompanhe com sucesso o processo de globalização mundial. Com as normas, é possivel trabalhar com um padrão tecnológico, pois elas permitem que haja consenso entre produtores, governo e consumidores. Isso facilita o intercâmbio comercial e aumenta a produtividade e as vendas não só no mercado interno como também no mercado externo, pois ficam eliminadas as barreiras técnicas criadas pela existência de regulamentos conflitantes sobre produtos e serviços em diferentes países.

As Normas Técnicas propiciam o correto suprimento das necessidades práticas dos produtores e consumidores e são fundamentais para a eliminação de desperdícios de tempo, matéria-prima e mão-de-obra, o que resulta em crescimento do mercado, melhoria da qualidade e redução de preços e custos, fatores que alimentam o ciclo motor do desenvolvimento social.

No Brasil, as atividades de Normalização precisam ser intensificadas em rítmo acelerado, não só pelo crescente desenvolvimento do mercado, como para atender às exigências do Comitê Técnico OMC – Organização Mundial do Comércio.

Agradecimentos

Os AGRADECIMENTOS não obedecem às normas nem têm caráter científico. Mas devem obedecer ao bom senso. Procure redigir de forma explícita o agradecimento a todas as pessoas que ajudaram você em seu trabalho. Inicie agradecendo a seu orientador, não se esquecendo de referir-se a quem emprestou material para a pesquisa, assim como àqueles que participaram da coleta de dados. O estilo deve ser objetivo, uma vez que se trata de um trabalho acadêmico, não devendo misturar os agradecimentos profissionais com as questões pessoais

DEVE CONTER

Agradeço…

(tamanho12 – negrito – podendo ser itálico alinhado a 3 tab (3,75 cm) da margem esquerda e 1 cm da margem direita – espaçamento simples digitado acima da margem inferior – sem aspas

OBS.: A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) não determina a disposição destes dados na folha. Esta distribuição deve ser definida pelo professor ou pela Instituição, para uniformização de seus trabalhos acadêmicos.

Capa

DEVE CONTER

Modelo de uma Capa

Nome do autor (margem superior, fonte 14)

Título do trabalho (fonte 16, maiúsculo, negrito, centralizado)

Instituição onde o trabalho foi executado (fonte 14, só as primeiras letras maiúsculas, negrito, centralizada)

Cidade e ano de conclusão do trabalho (fonte 14, negrito, maiúsculo e minúsculo, centralizado)

OBS.: A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) não determina a disposição destes dados na folha.

Esta distribuição deve ser definida

Contra-capa

Serve para proteger a última folha do trabalho, é opcional e permanece em branco.

OBS.: A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) não determina a disposição destes dados na folha. Esta distribuição deve ser definida pelo professor ou pela Instituição, para uniformização de seus trabalhos acadêmicos.

Dedicatória

DEVE CONTER

Dedicatória

(tamanho12 – negrito – podendo ser itálico alinhado a 3 tab (3,75 cm) da margem esquerda e 1 cm da margem direita – espaçamento simples digitado acima da margem inferior – sem aspas

OBS.: A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) não determina a disposição destes dados na folha.

Esta distribuição deve ser definida pelo professor ou pela Instituição, para uniformização de seus trabalhos acadêmicos.

Estrutura de Um Trabalho Acadêmico

Folha de Aprovação

DEVE CONTER

Nome do Autor TÍTULO

Objetivo

NOME DA INSTITUIÇÃO Curso Área de Concentração

Data de aprovação: __ de _____ de 20__

Nome do Professor _______________________ Titulação

Nome do Professor _______________________ Titulação

Nome do Professor _______________________ Titulação

 

Nome do autor

Título (e subtítulo, se houver) do trabalho

Natureza

Objetivos

Nome da instituição

Área de concentração

Data da aprovação

Nome, titulação, assinatura dos componentes da banca e as instituições a que fazem parte.

Modelo de uma Folha de Aprovação

Folha de rosto

DEVE CONTER

Modelo de uma Folha de Rosto As mesmas informações contidas na Capa:

Nome do autor (margem superior, fonte 14)

Título do trabalho (fonte 16, maiúsculo, negrito, centralizado)

 

As informações essenciais da origem do trabalho: -Instituição onde o trabalho foi executado (fonte 14, só as primeiras letras maiúsculas, negrito, centralizada)

Cidade e ano de conclusão do trabalho (fonte 14, negrito, maiúsculo e minúsculo, centralizado)

OBS.: A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) não determina a disposição destes dados na folha. Esta distribuição deve ser definida pelo professor ou pela Instituição, para uniformização de seus trabalhos acadêmicos.

Glossário

Palavras Utilizadas em Pesquisas

Agradecimento: É a manifestação de gratidão do autor da pesquisa às pessoas que colaboraram no seu trabalho. Deve ter a característica de ser curto e objetivo.

Amostra: É uma parcela significativa do universo pesquisado ou de coleta de dados.

Análise: É o trabalho de avaliação dos dados recolhidos. Sem ela não há relatório de pesquisa.

Anexo: É uma parte opcional de um relatório de pesquisa. Nele deve constar o material que contribui para melhor esclarecer o texto do relatório de pesquisa.

Apêndice: O mesmo que Anexo.

Bibliografia: É a lista de obras utilizadas ou sugeridas pelo autor do trabalho de pesquisa.

Capa: Serve para proteger o trabalho e dela deve constar o nome do autor, o título do trabalho e a instituição onde a pesquisa foi realizada.

Capítulo: É uma das partes da divisão do relatório de pesquisa. Lembrando que o primeiro capítulo será a Introdução e o último as Conclusões do autor. Entre eles o texto da pesquisa.

Ciência: É um conjunto organizado de conhecimentos relativos a um determinado objeto conquistados através de métodos próprios de coleta de informação.

Citação: É quando se transcreve ou se refere o que um outro autor escreveu.

Coleta de Dados: É a fase da pesquisa em que se reúnem dados através de técnicas específicas.

Conclusão: É a parte final do trabalho onde o autor se coloca com liberdade científica, avaliando os resultados obtidos, propondo soluções e aplicações práticas.

Conhecimento Científico: É o conhecimento racional, sistemático, exato e verificável da realidade. Sua origem está nos procedimentos de verificação baseados na metodologia científica. Podemos então dizer que o Conhecimento Científico:

“É racional e objetivo. Atém-se aos fatos. Transcende aos fatos. É analítico. Requer exatidão e clareza. É comunicável. É verificável. Depende de investigação metódica. Busca e aplica leis. É explicativo. Pode fazer predições. É aberto. É útil” (Galliano, 1979: 24-30).

Conhecimento Empírico (ou conhecimento vulgar): É o conhecimento obtido ao acaso, após inúmeras tentativas, ou seja, o conhecimento adquirido através de ações não planejadas.

Conhecimento Filosófico: É fruto do raciocínio e da reflexão humana. É o conhecimento especulativo sobre fenômenos, gerando conceitos subjetivos. Busca dar sentido aos fenômenos gerais do universo, ultrapassando os limites formais da ciência.

Conhecimento Teológico: Conhecimento revelado pela fé divina ou crença religiosa. Não pode, por sua origem, ser confirmado ou negado. Depende da formação moral e das crenças de cada indivíduo.

Corpo do Texto: É o desenvolvimento do tema pesquisado, dividido em partes, capítulos ou itens, excluindo-se a Introdução e a Conclusão.

Dedicatória: Parte opcional que abre o trabalho homenageando afetivamente algum indivíduo, grupos de pessoas ou outras instâncias.

Entrevista: É um instrumento de pesquisa utilizado na fase de coleta de dados.

Experimento: Situação provocada com o objetivo de observar a reação de determinado fenômeno.

Fichamento: São as anotações de coletas de dados registradas em fichas para posterior consulta.

Folha de Rosto: É a folha seguinte a capa e deve conter as mesmas informações contidas na Capa e as informações essenciais da origem do trabalho.

Glossário: São as palavras de uso restrito ao trabalho de pesquisa ou pouco conhecidas pelo virtual leitor, acompanhadas de definição.

Gráfico: É a representação gráfica das escalas quantitativas recolhidas durante o trabalho de pesquisa.

Hipótese: É a suposição de uma resposta para o problema formulado em relação ao tema. A Hipótese pode ser confirmada ou negada. Índice (ou Índice Remissivo): É uma lista que pode ser de assuntos, de nomes de pessoas citadas, com a indicação da(s) página(s) no texto onde aparecem. Alguns autores referem-se a Índice como o mesmo que Sumário e Índice como Índice Remissivo. Instrumento de Pesquisa: Material utilizado pelo pesquisador para colher dados para a pesquisa.

Introdução: É o primeiro capítulo de um relatório de pesquisa, onde o pesquisador irá apresentar, em linhas gerais, o que o leitor encontrará no corpo do texto. Por isso, apesar do nome Introdução, é a última parte a ser escrita pelo autor.

Método: A palavra método deriva do grego e quer dizer caminho. Método então, no nosso caso, é a ordenação de um conjunto de etapas a serem cumprias no estudo de uma ciência, na busca de uma verdade ou para se chegar a um determinado fim.

Metodologia: “Methodo” significa caminho; “logia” significa estudo. É o estudo dos caminhos a serem seguidos para se fazer ciência.

Monografia: É um estudo científico, com tratamento escrito individual, de um tema bem determinado e limitado, que venha contribuir com relevância à; ciência.

Pesquisa: É a ação metódica para se buscar uma resposta; busca; investigação.

Problema: É o marco referencial inicial de uma pesquisa. É a dúvida inicial que lança o pesquisador ao seu trabalho de pesquisa.

Resenha: É uma descrição minuciosa de um livro, de um capítulo de um livro ou de parte deste livro, de um artigo, de uma apostila ou qualquer outro documento.

Técnica: É a forma mais segura e ágil para se cumprir algum tipo de atividade, utilizando-se de um instrumental apropriado.

Teoria: “É um conjunto de princípios e definições que servem para dar organização lógica a aspectos selecionados da realidade empírica. As proposições de uma teoria são consideradas leis se já foram suficientemente comprovadas e hipóteses se constituem ainda problema de investigação” (Goldenberg, 1998: 106-107)

Tópico: É a subdivisão do assunto ou do tema.

Universo: É o conjunto de fenômenos a serem trabalhados, definido como critério global da pesquisa.

PALAVRAS OU EXPRESSÕES LATINAS UTILIZADAS EM PESQUISA

apud: Significa “citado por”. Nas citações é utilizada para informar que o que foi transcrito de uma obra de um determinado autor na verdade pertence a um outro.

Ex.: (Napoleão apud Loi) ou seja, Napoleão “citado por” Loi et al. (et alli): Significa “e outros”. Utilizado quando a obra foi executada por muitos autores.

Ex.: Numa obra escrita por Helena Schirm, Maria Cecília Rubinger de Ottoni e Rosana Velloso Montanari escreve-se: SCHIRM, Helena et al.

ibid ou ibdem: Significa “na mesma obra”.

idem ou id: Significa “igual a anterior”.

in: Significa “em”.

ipsis litteris: Significa “pelas mesmas letras”, “literalmente”. Utiliza-se para expressar que o texto foi transcrito com fidelidade, mesmo que possa parecer estranho ou esteja reconhecidamente escrita com erros de linguagem.

ipsis verbis: Significa “pelas mesmas palavras”, “textualmente”. Utiliza-se da mesma forma que ipsis litteris ou sic. opus citatum ou op.cit.: Significa “obra citada”

passim: Significa “aqui e ali”. É utilizada quando a citação se repete em mais de um trecho da obra.

sic: Significa “assim”. Utiliza-se da mesma forma que ipsis litteris ou ipsis verbis.

supra: Significa “acima”, referindo-se a nota imediatamente anterior.

OBS.: A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) não determina a disposição destes dados na folha. Esta distribuição deve ser definida pelo professor ou pela Instituição, para uniformização de seus trabalhos acadêmicos.

Referências Bibliográfica

Trata-se da relação das obras consultadas e mencionadas no trabalho. Deve seguir a NBR 6023/agosto/2000.

Modelo de Referências Bibliográficas

Livros

ANTUNES, Maria Thereza P. Capital intelectual. São Paulo: Atlas, 2000. BERNARDES, Cyro; MARCONDES, Reynaldo C.. Teoria Geral da administração. 3. ed.. São Paulo : Saraiva , 2002.

Dissertações e Teses

ÁVILA, Ricardo T. A pressão pela redução de preços nos novos produtos das autopeças e a inovação em automações industriais. 2001, 198 p. Dissertação (Mestrado em Administração de Empresas). Programa de Pós- Graduação em Administração de Empresas, Universidade Presbiteriana Mackenzie. São Paulo. MOORI, Roberto G. Um modelo de procedimento para a avaliação da produtividade na administração dos materiais. 1993. 152p. Tese (Doutorado em Engenharia). Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.São Paulo.

Dicionários

DINIZ, Maria Helena. Dicionário jurídico. São Paulo: Saraiva, 1998.

Catálogos

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE. Catálogo de dissertações e teses: resumos, 1999. São Paulo, 2000. 218 p. HEWLETT-PACKARD. Test & measurement catalog 1998. Englewood: Hewlett-Packard Press, 1999. 668 p.

Congressos, Seminários, Encontros

HANASHIRO,Darcy M. M; TEIXEIRA, Maria Luisa Mendes . Os papéis desempenhados pelos profissionais de recursos humanos contribuem para a vantagem competitiva sustentável? In: ENANPAD 2001. Campinas- São Paulo. Anais dos Resumos dos trabalhos. Hotel Royal, 2001. 312 p.

Periódicos

Revista Científica considerada no todo (coleção) REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO MACKENZIE. São Paulo: Ed. Mackenzie, 2001 -. Semestral. ISSN 1518-6776

Artigos de revista Científica

NASSIF, Vânia M. J.; HANASHIRO, Darcy.M.M. A competitividade das universidade particulares à luz de uma visão baseada em recursos. Revista de Administração Mackenzie, São Paulo, ano 3, n.1, p.97-114, 2001. HU, Osvaldo R. T.; RAUNHEITTE, Luís Tadeu. M. Padrão JPEG de compactação de imagens. Revista Mackenzie de Engenharia e Computação, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 139- 152, jul./dez. 2000.

Artigo de Jornal

FONSECA, Roberto. Gabinete “paga” campanha de vereador. Jornal da Tarde, São Paulo, 9 maio 2001. Cidade, Caderno A, p.12. Parte de livros e artigos ROMANO, Giovanni. Imagens da juventude na era moderna. In: LEVI, G. ; SCHIMIDT, J. (Org.). História dos jovens 2. São Paulo: Companhia das Letras, 1996. P.7-16. Artigo e matéria de Revistas e Boletins AS 500 maiores empresas do Brasil. Conjuntura Econômica, Rio de Janeiro, v. 38, n.9, set. 1984. Edição especial.

Parte de Revistas e Boletins

DINHEIRO: revista semanal de negócios. São Paulo: Ed. Três, n. 148, 28 jun. 2000. 98p. 18 Artigo de reportagem e resenhas LEAL, L. N. MP fiscaliza com autonomia total. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, p.3, 25 abr. 1999.

Legislação

BRASIL. Constituição (1988). Emenda constitucional nº 9, de 9 de novembro de 1995. Lex: legislação federal e marginalia, São Paulo, v.59, p.1966, out./dez. 1995.

Jurisprudência

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Súmula nº14. In: ______. Súmulas. São Paulo: Associação dos Advogados do Brasil, 1994. P.16.

Código

BRASIL. Código civil. Coordenação de Maurício Antonio Ribeiro Lopes. 6. Ed. Sâo Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2001.

Decreto

BRASIL.Decreto n.º3.704, de 27 de dezembro de 2000. Altera a Nomenclatura Comum do MERCOSUL (NCM) e as alíquotas do imposto de importação dos produtos que menciona, e dá outras providências. LEX – Coletânea de Legislação e Jurisprudência: Legislação Federal e Marginalia. São Paulo, v. 65, 2001.

Mapa

Sistema cartográfico metropolitano da Grande São Paulo: levantamento aerofotogramétrico: Consolação. São Paulo: Emplasa, [1972?]. 1 mapa, 64 x 84 cm. Escala 1:2000. Projeção transversa de Mercator, Meridiano Central 45º

Microficha

MARTENE, Edmond. Veterum scriptorum et monumentorum historicorum. [S.l: s.n.], [1729?]. v. 6. Microficha. MORSAN, George Campell. God’s last word to man: studies in hebrews. London, Morsan & Scott, Ltda.. [1992-1996?]. Microficha.

Meios Eletrônicos

Banco de Dados

PROQUEST: banco de dados. Disponível em : . Acesso em: 03 abr. 2001.

Lista de Discussão

BIBLIOTECAS Universitárias. Lista mantida pela FEBAB, Brasil. Disponível em: BIBUNIVERSITARIAS@E-GROUPS.COM. Acesso em 03 abr.2001.

Home Page Institucional

DIRETÓRIO Acadêmico Eugênio Gudin (DAEG). Desenvolvido pelo Diretório Acadêmico da Faculdade de Ciências Econômicas, Contábeis e Administrativas da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Apresenta informações acadêmicas dos cursos da universidade. Disponível em: . Acesso em: 03 abr. 2001.

Arquivo em Disquete

PETROBRÁS. Informe Técnico. Rio de Janeiro, ago.1999.1 disquete, 31/2. Windows 98.

E-mail ASCOLI, Raymond. Base de dados FIS. Mensagem recebida por biblio.fceca@mackenzie.br em 08 mar.2001.

Artigo de Revista em Meio Eletrônico

NELIO. Brazil reforms cut planning opportunities. International Tax Review, London, Nov.1999. Disponível em: Acesso em : 9 maio 2001.

Livros/Monografias no todo

KOOGAN, André; HOUAISS, Antonio (Ed.). Enciclopédio e dicionário digital 98. Direção geral de André Koogan Breikman. São Paulo: Delta: Estadão, 1998. 5CD-ROM.

Partes de Livros/Monografias

SÃO PAULO (Estado). Secretaria do Meio Ambiente. Tratados e organizações ambientais em matéria de meio ambiente. In: ________. Entendendo o meio ambiente. São Paulo, 1999. V. 1. Disponível em: http://www.bdt.org.br/sma/entendendo/atual.htm. Acesso em:8 mar. 1999.

Consultas Online

ALVES, Castro. Navio Negreiro. [S.I.]: Virtual Books, 2000. Disponível em: http://www.terra.com.br/virtualbooks/freebook/port/Lport2/navionegreiro.htm . Acesso em: 10 jan.2002, 16:30:30

Revista e Boletim

SILVA, M. M. L. Crimes da era digital..Net, Rio de Janeiro, nov.1998. Secão Ponto de Vista. Disponível em: http://www.brazilnet.com.br/contexts/brasilrevistas.htm. Acesso em: 28 nov.1998.

Artigo e matéria de jornal

SILVA, Ives Gandra da. Pena de morte para o nascituro.O Estado de São Paulo, São Paulo, 19 set. 1998. Disponível em: http:///www.providafaília.org/pena_morte_nascituro.htm. Acesso em: 19 set.1998.

Trabalho apresentado em evento em meio eletrônico

GUNCHO, M. R. A educação à distância e a biblioteca universitária. In: SEMINÁRIO DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS, 10., 1998, Fortaleza. Anais…Fortaleza: Tec Treina, 1998. 1 CD-ROM.

Documento cartográfico

PERCENTAGEM de imigrantes em São Paulo, 1920. 1 mapa, color. Escala indeterminável. Neo Interativa, Rio de Janeiro, n.2, inverno 1994. 1 CD-ROM.

OBSERVAÇÃO

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) não determina a disposição destes dados na folha. Esta distribuição deve ser definida pelo professor ou pela Instituição, para uniformização de seus trabalhos acadêmicos.

Sumário

O SUMÁRIO oferece ao leitor uma visão global do estudo realizado. Inclui todos os títulos principais e suas subdivisões, que recebem numeração própria. Seus elementos deverão ser devidamente alinhados entre si, sempre obedecendo à margem esquerda. Digitado em negrito, a coluna de numeração deverá ser sempre alinhada obedecendo à margem direita. Os números deverão ser ligados à última palavra dos respectivos títulos por uma linha de pontos. O tamanho das letras, pontilhados e números receberão tamanhos de letras distintos, conforme especificações indicadas na Figura. Não constam no sumário: folha de rosto, folha de epígrafe, dedicatórias ou agradecimentos.

OBS.: A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) não determina a disposição destes dados na folha. Esta distribuição deve ser definida pelo professor ou pela Instituição, para uniformização de seus trabalhos acadêmicos.

Textos: Anexo ou apêndice

ANEXOS OU APÊNDICES é todo material suplementar de sustentação ao texto (itens do questionário aplicado, roteiro de entrevista ou observação, uma lei discutida no corpo do texto etc).

OBSERVAÇÃO

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) não determina a disposição destes dados na folha. Esta distribuição deve ser definida pelo professor ou pela Instituição, para uniformização de seus trabalhos acadêmicos.

Texto: Conclusão

CONCLUSÃO é a parte final do texto, na qual se apresentam conclusões correspondentes aos objetivos do trabalho. É o fecho do trabalho. Recapitulam-se sinteticamente os resultados do trabalho elaborado.

As principais características de uma conclusão são: essencialidade, brevidade e personalidade.

Este é o momento em que o autor do trabalho se posiciona, faz crítica, apresenta as suas contribuições e traz sua marca pessoal.

Contribui com um novo conhecimento ou reformula conhecimentos existentes. (NBR 14724-01 p.4)

OBSERVAÇÃO

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) não determina a disposição destes dados na folha. Esta distribuição deve ser definida pelo professor ou pela Instituição, para uniformização de seus trabalhos acadêmicos.

Texto: Desenvolvimento

O item DESENVOLVIMENTO agrega: Referencial Teórico e Procedimentos Metodológicos (em casos de pesquisa de campo, considerar – Resultados e Análise de Dados).

Cada um destes itens deve iniciar uma página. É a parte principal do texto, que contém a exposição ordenada e pormenorizada do assunto. Independente do assunto abordado nos trabalhos acadêmicos é importante que os alunos sejam orientados para buscarem um referencial teórico, definirem o procedimento metodológico a ser desenvolvido no trabalho e que o mesmo tenha resultados.

Estes resultados muitas vezes não advêm de pesquisa de campo, mas de um levantamento bibliográfico. Com base nestes itens, aprender a analisar os resultados, argumentando e dando encaminhamento para a conclusão do trabalho.

DESENVOLVIMENTO DO TEXTO

O corpo do trabalho é onde o tema é discutido pelo autor

As hipóteses a serem testadas devem ser claras e objetivas.

Devem ser apresentados os objetivos do trabalho.

A revisão de literatura deve resumir as obras já trabalhadas sobre o mesmo assunto.

Deve-se mencionar a importância do trabalho, justificando sua imperiosa necessidade de se realizar tal empreendimento.

Deve ser bem explicada toda a metodologia adotada para se chegar às conclusões.

OBS.: A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) não determina a disposição destes dados na folha. Esta distribuição deve ser definida pelo professor ou pela Instituição, para uniformização de seus trabalhos acadêmicos.

Texto: Introdução

A INTRODUÇÃO é a parte inicial do texto, abrindo o trabalho propriamente dito. A justificativa, por sua vez, deve descrever a relevância do tema e o porquê de sua escolha, abordando as contribuições acadêmicas e aplicadas. Para Salomon (2001), é a defesa de projeto, a exposição de interesses envolvidos: os teóricos, os pessoais e os da equipe de pesquisadores. Deve constar o tema tratado, justificativa, problema de pesquisa, objetivos e outros elementos necessários para situar o tema do trabalho. Não apresenta indicação numérica por se tratar de texto introdutório ao trabalho. (NBR6024-89, p.2 e NBR 14724-01 p.4).

OBS.: A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) não determina a disposição destes dados na folha. Esta distribuição deve ser definida pelo professor ou pela Instituição, para uniformização de seus trabalhos acadêmicos.

Fonte: www.creapa.com.br

SALVE ESTA MATÉRIA!

Deixe uma resposta