fbpx

SABEM O QUE É TAUTOLOGIA?


GOVERNOmetáfora,Sabem o que é tautologia? 

A tautologia (do grego ταὐτολογία “dizer o mesmo”) é, na retórica, um termo ou texto que expressa a mesma ideia de formas diferentes. Como um vício de linguagem pode ser considerada um sinônimo de pleonasmo ou redundância. A origem do termo vem de do grego tautó, que significa “o mesmo”, mais logos, que significa “assunto”. Portanto, tautologia é dizer sempre a mesma coisa em termos diferentes.

Em filosofia e outras áreas das ciências humanas, diz-se que um argumento é tautológico quando se explica por ele próprio, às vezes redundante ou falaciosamente. Por exemplo, dizer que “o mar é azul porque reflete a cor do céu e o céu é azul por causa do mar” é uma afirmativa tautológica. Um exemplo de dito popular tautológico é “tudo o que é demais sobra”. Da mesma forma, um sistema é caracterizado como tautológico quando não apresenta saídas à sua própria lógica interna, conforme os exemplos: exige-se de um trabalhador que tenha curso universitário para ser empregado, mas ele precisa ter um emprego para receber salário e assim custear as despesas do curso universitário; exige-se de um trabalhador que ele tenha experiência anterior em outros empregos, mas ele precisa do primeiro emprego para adquirir experiência.

É o termo usado para definir um dos vícios de linguagem.
Consiste na repetição de uma idéia, de maneira viciada, com palavras diferentes, mas com o mesmo sentido.
O exemplo clássico é o famoso ‘subir para cima’ ou o ‘descer para baixo’.
Mas há outros, como pode ver na lista a seguir:

– elo de ligação
– acabamento final
– certeza absoluta
– quantia exacta
– nos dias 8, 9 e 10, inclusive
– juntamente com
– expressamente proibido
– em duas metades iguais
– sintomas indicativos
– há anos atrás
– vereador da cidade
– outra alternativa
– detalhes minuciosos
– a razão é porque
– anexo junto à carta
– de sua livre escolha
– superávit positivo
– todos foram unânimes
– conviver junto
– facto real
– encarar de frente
– multidão de pessoas
– amanhecer o dia
– criação nova
– retornar de novo
– empréstimo temporário
– surpresa inesperada
– escolha opcional
– planear antecipadamente
– abertura inaugural
– continua a permanecer
– a última versão definitiva
– possivelmente poderá ocorrer
– comparecer em pessoa
– gritar bem alto
– propriedade característica
– demasiadamente excessivo
– a seu critério pessoal
– exceder em muito

Note que todas essas repetições são dispensáveis.

Por exemplo, ‘surpresa inesperada’.

Diferença entre frase tautológica e pleonasmo

— “A secretaria de Relações Institucionais deverá ser o elo de ligação do Estado com os demais poderes da República.”

  • Trata-se do pleonasmo, dois termos que repetem a mesma ideia. A omissão da locução adjetiva “de ligação” ou a substituição de “elo de ligação” por “a ligação” não altera o significado. O termo redundante é desnecessário.

— Quando os problemas acabarem, a normalidade voltará.

  • Trata-se de uma frase tautológica. A repetição é do significado, mas com outras palavras. Diferente do pleonasmo, a repetição é implícita.

Exemplos na linguagem de utilização de pleonasmo

Prefeitura Municipal
elo de ligação
certeza absoluta
nos dias 8, 9 e 10, inclusive
juntamente com
em duas metades iguais
sintomas indicativos
há anos atrás
detalhes minuciosos
anexo junto à carta
todos foram unânimes
encarar de frente
retornar de novo
empréstimo temporário
surpresa inesperada
escolha opcional
planejar* antecipadamente – (*planear em Português Europeu)
a última versão definitiva
possivelmente poderá ocorrer
comparecer pessoalmente
propriedade característica
demasiadamente excessivo
a seu critério pessoal
seguindo em frente
pessoa humana (não deve ser considerado pleonasmo porque existe pessoa física e jurídica)
fato* real – (*facto em Português Europeu; nas variantes não-brasileiras do Português fato é a indumentária correspondente a terno no Brasil)
um mês de mensalidade
multidão de pessoas
consultoria especializada
modelo de referência
outra alternativa
expressamente proibído (Não deve ser considerado pleonasmo, pois várias coisas podem ser feitas expressamente, não só proibir. Ex. Expressamente Obrigatório. Expressamente é uma ordem expressa)
subir pra cima
descer pra baixo

Figuras de linguagem mais usadas

Antítese e Paradoxo

Antítese é a aproximação de ideias contrárias.

Ex.: Já estou cheio de me sentir vazio.
Paradoxo consiste na exposição de palavras contrárias.

Ex.: Ele não odeia, ama.
Na explicação do professor Paulo Hernandes fica evidente a diferença entre estas duas figuras de linguagem frequentemente confundidas:

“Como podemos ver, na antítese, apresentam-se ideias contrárias em oposição. No paradoxo, as ideias aparentam ser contraditórias, mas podem ter explicação que transcende os limites da expressão verbal.”
Catacrese

É a figura de linguagem que consiste na utilização de uma palavra ou expressão que não descreve com exatidão o que se quer expressar, mas é adotada por não haver outra palavra apropriada – ou a palavra apropriada não ser de uso comum.

Ex.: Não deixe de colocar dois dentes de alho na comida.
Sinestesia

Consiste na fusão de impressões sensoriais diferentes.

Ex.: Aquela criança tem um olhar tão doce.
Comparação

Como o próprio nome diz, essa figura de linguagem é uma comparação feita entre dois termos com o uso de um conectivo.

Ex.: O Amor queima como o fogo.
Ex.: Carcará / Lá no sertão / É um bicho que avoa que nem avião (…) 2
Metáfora

É a figura de palavra em que um termo substitui outro em vista de uma relação de semelhança entre os elementos que esses termos designam

Ex.: (…) se ela é um morango aqui do Nordeste (…)
Essa semelhança é resultado da imaginação, da subjetividade de quem cria a metáfora.

Disfemismo ou Cacofemismo

É uma figura de estilo (figura de linguagem) que consiste em empregar deliberadamente termos ou expressões depreciativas, sarcásticas ou chulas para fazer referência a um determinado tema, coisa ou pessoa, opondo-se assim, ao eufemismo. Expressões disfêmicas são freqüentemente usadas para criar situações de humor.

Ex.: Comer capim pela raiz.
Hipérbole ou Auxese3

É a figura de linguagem que consiste no exagero.

Ex.: “Rios te correrão dos olhos, se chorares!”
Ex.: (…) E pro inferno ele foi pela primeira vez (…)

Metonímia ou Transnominação

É a figura de linguagem que consiste no emprego de um termo por outro, dada a relação de semelhança ou a possibilidade de associação entre eles. Definição básica: Figura retórica que consiste no emprego de uma palavra por outra que a recorda.

Ex.: Lemos Machado de Assis por interesse. (Ninguém, na verdade, lê o autor, mas as obras dele em geral.)

Personificação ou Prosopopeia 4

É uma figura de estilo que consiste em atribuir a objetos inanimados ou seres irracionais sentimentos ou ações próprias dos seres humanos.

Ex.: (…) Eu vi a Estrela Polar / Chorando em cima do mar (…) 5
Perífrase6

Consiste no emprego de palavras para indicar o ser através de algumas de suas características ou qualidades.

Ex.: O rei dos animais (Leão) 7
Ex.: Visitamos a cidade-luz (Paris) 8
Ironia 9

Consiste em apresentar um termo em sentido oposto.

Ex.: Meu irmão é um santinho (malcriado).
Eufemismo10

Consiste em suavizar um contexto.

Ex.: Você faltou com a verdade (Em lugar de mentiu).
Ver também[editar | editar código-fonte]

Figura sintática
Kenning (em outras culturas e línguas)
Referências

Ir para cima ↑ Mucuripe, canção do álbum Objeto Direto, composto por Fagner e Belchior.
Ir para cima ↑ Carcará, de João do Vale.
Ir para cima ↑ Significado de Auxese
Ir para cima ↑ Significado de Prosopopéia
Ir para cima ↑ A Estrela Polar, de Vinicius de Moraes
Ir para cima ↑ Significado de Perífrase
Ir para cima ↑ O Rei dos Animais, por Millôr Fernandes.)
Ir para cima ↑ em língua francesa, La Ville-Lumière
Ir para cima ↑ Significado de Ironia
Ir para cima ↑ Significado de Eufemismo

 

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Tautologia


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *