fbpx

PROFESSOR, COMO VAI SUA VOZ ?

Leia livros sobre este assunto

PROFESSOR, COMO VAI SUA VOZ?

Entre os profissionais que utilizam a voz como instrumento de trabalho, são os professores que mais sofrem. Infelizmente, na maioria das vezes, a voz só recebe a atenção merecida quando começa a dar os primeiros sinais de que algo não vai bem.

Muitos professores começam a perceber uma rouquidão (disfonia) que permanece por mais de 15 dias, cansaço vocal, além de outros sintomas como sensação de garganta “arranhando”, dores na região do pescoço e cervical. Esses sintomas ocorrem, muito provavelmente, devido ao mau uso da voz e por falta de um tratamento preventivo.

http://ctimmadureira.blogspot.com.br/2013/04/doencas-da-voz-rouquidao.html
Nestes casos, é indicada a visita ao médico otorrinolaringologista para uma avaliação. Depois do problema diagnosticado, somente um fonoaudiólogo poderá auxiliá-lo através de tratamento específico.

Utilizada todo o tempo, e não somente no ambiente de trabalho, a voz, invisível, também merece descanso. Porém, quando o tempo para descanso se torna escasso, podemos ter atitudes diárias que permitem promover saúde, qualidade de vida e um melhor rendimento vocal.

Algumas dicas importantes:

positivo

beba bastante água, principalmente pequenos goles enquanto estiver falando;
respire corretamente;
fale pausadamente, articulando bem as palavras;
evite competir com ruídos externos e até mesmo do próprio local em que estiver falando;
procure utilizar amplificadores de voz;
boceje e espreguice várias vezes ao dia, pois ajuda a aliviar a tensão na região do pescoço;
utilize roupas que não apertem a região do abdômen e pescoço;
coma maçã, considerada adstringente; ela ajuda a limpar a cavidade da boca e reduz o muco da faringe;
preocupe-se em manter uma alimentação equilibrada, sem grande número de horas em jejum, mastigando bem cada alimento a ser ingerido;
após uso intenso da voz, procure manter repouso vocal, mesmo que por alguns minutos;
faça exercícios físicos.

maca

Alguns hábitos devem ser incorporados ao dia a dia do professor.

negativo

evite gritar e pigarrear;
nos intervalos, evite falar muito o telefone;
fumaça, cigarro e automedicação causam irritação à mucosa do trato vocal;
alergias respiratórias influenciam na qualidade vocal;
sprays, pastilhas e balas têm efeito anestesiante e somente aliviam a sensação de irritação ou dor, podendo mascarar e inclusive contribuir para um maior abuso vocal;
alimentos gordurosos e condimentados, bebidas à base de cafeína e refrigerantes, dificultam a digestão, podem provocar refluxo gastroesofágico (azia) e essa sensação de “queimação” pode chegar às pregas vocais, ocasionando irritação;
evite ao máximo uma jornada sedentária.

Não espere ocorrer o “problema”. Antes, invista em pequenas atitudes que trarão uma boa qualidade vocal e de vida.

Procure sempre orientação de um fonoaudiólogo, que irá ensinar estratégias vocais para conservação e maximização da voz durante o uso profissional.

“A voz do professor chama, acalma, contém, transmite, dirige, alerta, orienta e acolhe.

A voz do professor ensina.” (Behlau)

Autora: Taís Ferraz Duarte é Professora da Rede Municipal
e colaboradora do Portal Rioeduca
E-mail: [email protected]

Fonte: www.rioeduca.net

O que você achou do texto acima? Gostou? Acha que pode ser útil pra mais alguém?

Se sim, eu gostaria de te pedir encarecidamente que compartilhasse, além de transmitir a informação, você ajuda no crescimento do nosso site! 😘

Kit Acelera ABC

Comentários

É muito importante saber a sua opinião. Adoramos quando você comenta, pois assim sabemos quais os rumos que devemos seguir através dos nossos artigos. Tudo o que você sugere ou comenta é avaliado para somar ao conteúdo que desenvolvemos.

Deixe uma opinião sobre o que achou do texto acima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *