fbpx

OS “PAIS” DA SOCIOLOGIA: FERDINAND TÖNNIES (N. 26 JUL.1855; M. 09 ABR.1936)

 
Sociólogo alemão, Ferdinand Julius Tönnies nasceu a 26 de Julho de 1855, em Oldenswort, e faleceu a 9 de Abril de 1936, em Kiel. As suas influências encontram-se na filosofia de Arthur Schopenhauer e de Friedrich Nietzsche. Foi um dos fundadores da Associação Alemã de Sociologia. Tönnies distinguia três ramos de sociologia: a pura, a aplicada e a empírica. Na sua obra principal,Gemeinschaft und Gesellschaft (1887), apresentou os conceitos de “comunidade” (Gemeinschaft) e de “associação” (Gesellschaft), guias fundamentais da sociologia empírica e aplicada no estudo das transformações das relações na sociedade. Nas sociedades rurais, camponesas, as pessoas estabelecem relações directas umas com as outras e são reguladas por regras sociais tradicionais. Predomina a Wesenwille (a vontade natural), ditada pelas necessidades e convicções instintivas, pela expressão de sentimentos e pela emoção espontânea. Nas sociedades modernas, cosmopolitas, o interesse próprio e a conduta calculista enfraqueceu os contornos tradicionais das relações. Predomina a Kurwille (a vontade racional), inspirada pela racionalidade instrumental na escolha dos meios para atingir os fins. As relações são mais impessoais e indirectas e correspondem a uma sociedade de governo burocrático e de organizações industriais de larga escala. A Wesenwille é orgânica e real enquanto a Kurwille é conceptual e artificial. Gemeinschaft e Gesellschaft são tipos ideais e não categorias de classificação, o que nem sempre foi entendido pelos críticos de Tönnies.
As suas obras principais são: Gemeinschaft und Gesellschaft (1887); Thomas Hobbes Leben und Lehre (1896); Die Sitte (1909); Kritik der öffentlischen Meinung(1922).

Deixe um comentário

avatar
  Receber notificações  
Me notifique

Deseja receber nosso conteúdo direto no seu email?