fbpx

O REINO DA ALEGRIA: PEÇA TEATRAL

Participar as nossas crianças em um conto maravilhoso o a trama mirabolante que deu inicio ao Dia das Crianças…

 

 

PEÇA TEATRAL

 

 

 

 

 

 

 

 

O REINO DA ALEGRIA!

 

 

 

 

Dramaturgo: silva & oliveira

 

Inicio- 07/07/2005

Termino – 09/07/2005

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

APRESENTAÇÃO

Narrador – Alegre ou triste, dependendo da influencia que recebe. Trabalha também como contra regra.

 

Rei Bambino – Um rei criança, que gosta de alegria, más, é perturbado pela tristeza.

 

Tristeza – Gênio luminoso, que vive tentando fazer do reino um lugar de grande felicidade.

 

Arlequim – O bobo da corte, esta preso pela tristeza, por que todos zombam de sua feiúra e de sua profissão.

 

Práfica Debôa – Ministro do bem estar, desesperado porque seu ministério não esta dando certo.

 

Ôrrei nuntá – Secretário real, outro prisioneiro da tristeza e, como tal, tenta impedir que Dêboa e o  Rei Bambino se reúnam para tentar alegrar o reino.

 

ATENÇÃO: Cada personagem, exceto o rei, possui um colar indicando o Gênio que lhe domina, ao entrar o Gênio dominante, comemora-se com mímica.

O Rei Bambino esta sentado com o cetro e a coroa real. A tristeza e a alegria alternam na influencia e o Rei fica alegre ou triste, de acordo com o gênio que lhe influencia na seguinte ordem: Tristeza, Alegria, Tristeza, Alegria, na ultima vez a alegria pega na mão do Rei e o ajuda a levantar-se. O Rei olha para o publico…

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PRIMEIRA FALA – NARRADOR: Pequeninos e pequeninas! Eu vou contar uma história de como começou o dia das crianças. Claro que isso somos nós que estamos dizendo! (Põe a mão na boca e ri) …então vamos lá! Era uma vez, um Rei criança…ôpa! desculpem-me! Um Rei Bambino…(sai de cena…).

O REI OLHA PARA O PÚBLICO E DIZ:

BAMBINO: Meus súditos! Povo do meu reino! Eu sou o Rei Bambino e quero que todos sejam felizes!

A TRISTEZA PUXA A ALEGRIA DE PERTO DE REI BAMBINO, PASSA A MÃO NO ROSTO DO REI QUE LOGO SE ENTRISTECE.

TRISTEZA: (Para o público): Do que vocês estão rindo?  (Mal humorado) eu quero é que vocês fiquem tristes e chorem muito! (faz uma careta).

A ALEGRIA DÁ UM EMPURRÃO DE CORPO NA TRISTEZA.

ALEGRIA –  Sai pra lá coisa feia ! ( para a plateia)b Vocês já viram coisa mais feia que a tristeza? Eu sou o gênio da alegria e vou lutar contra a tristeza sempre!

A ALEGRIA RETORNA AO FUNDO DA CENA. ENTRA O  ÔRREI NUNTÁ E A TRISTEZA PÕE LOGO A MÃO SOBRE ELE, QUE FAZ UMA MENSURA PARA O REI.

ÕRREI NUNTÁ – Majestade! O chato do Arlequim está aí fora, dizendo que o senhor esta esperando por ele?

BAMBINO – Ele não é chato coisa nenhuma! E eu estou esperando ele sim! Mande-o entrar!

NUNTÁ VAI PARA A PLATÉIA E DIZ EM VOZ SOLENE.

ÕRREI NUNTÁ – Bom dia senhores! Eu sou o secretário real, meu nome é: Ôrrei nuntá, e, eu acho esse Arlequim um chato! Eu nunca vi uma coisa dessas, quem é triste fingindo que é alegre. (Para o Rei) Imediatamente Majestade!

A ALEGRIA TENTA CHEGAR PERTO DE NUNTÁ, MAS A TRISTEZA NÃO DEIXA E ELE SAI. ENTRA ARLEQUIM, DANDO UMA CAMBALHOTA.

ARLEQUIM – Boooom diiiaaaaa! Majestade! Vamos brincar, meu caro Rei Bambino?

O NARRADOR ENTRAGA ABOLA PARA O ARLEQUIM QUE DIZ PARA A PLATÉIA.

ARLEQUIM – Mas eu me sinto tão triste!

BAMBINO – Arlequim! Joga a bola! Hoje eu vou ganhar de goleada!

ARLEQUIM – Claro que sim Majestade! Se essa é a sua vonnntaaaaade…

BAMBINO – Assim não! Eu quero que você tente ganhar de mim!

“ENTRA NUNTÁ RESMUNGANDO”.

ÔRREI NUNTÁ – Majestade! O enjoado do Ministro Dêboa esta querendo falar com o senhor. Eu falei para ele que vossa Majestade NUMTÀ, mas ele diz que é muito importante. Eu, particularmente acho que ele esta é torrando a paciência e…

BAMBINO – Pare com isso NUNTÀ! Se o ministro diz que é importante, mande ele entrar, ora bolas!

ÔRREI NUNTÁ SAI RESMUNGANDO.

ÔRREI NUNTÁ – Manda ele entrar! Manda ele entrar! nem adianta eu falar que ÔRREI NUNTÁ!

“ENTRA PRAFICAR DÊBOA”

PRÁFICAR DÊBOA – majestade!

BAMBINO – Fale meu amigo!

PRÁFICAR DÊBOA – Temos um problema! Muitas pessoas no reino estão prisioneiras pelo gênio da tristeza! (A TRISTEZA COMEMORA) Ôo reino annnda taaaaão triiiissteeee!

BAMBINO –  (A TRISTEZA SE APROXIMA DO REI): Até eu estou ficando triste com essa notícia!

PRAFICAR DÊBOA – (PARA A PLATÉIA): Olá criançada! Eu sou o Ministro  do bem estar social, meu nome é Dêboa. Eu gostaria muito de saber se alguém aí gosta de tristeza?

“O NARRADOR INSENTIVA  AS CRIANÇAS Á RESPONDEREM”

BAMBINO – Dêboa, o que poderemos fazer para mudar isso?

PRAFICAR DÊBOA –  Devemos ajudar a alegria!

“ A TRISTEZA FECHA A CARA E A ALEGRIA COMEMORA”

BAMBINO – Arlequim! Você pode ajudar a ALEGRIA a vencer a TRISTEZA?

“A ALEGRIA FAZ QUE SIM E A TRISTEZA FAZ QUE NÃO DESESPERADA”

ALERQUIM – Bem que eu gostaria majestade, más, eu me sinto tão triste!

A TRISTEZA COMEMORA, A ALEGRIA SE INDIGNA, ENTRA  ÔRREIA NUNTÁ SE INTROMETENDO NA CONVERSA.

ÔRREI NUNTÁ – Com licença majestade!

BAMBINO – Eu sabia! Você pode ajudar a alegria?

ÔRREI NUNTÁ – Não majestade! Eu acho que todos tem o direito de ficarem tristes se quiserem.

A TRISTEZA COMEMORA.

BAMBINO – Deixe de ser bobo NUNTÀ!

PRAFICAR DÊBOA – Tristeza, lá é direito que se queira?

BAMBINO – Eu prefiro o reino alegre!

ARLEQUIM – Eu também majestade!

“A TRISTEZA SE APROXIMA DELE QUE  AMOLECE E CAI”.

ARLEQUIM – Más eu estou tão triste!

BAMBINO – Isso não pode ficar assim!

PRAFICAR DÊBOA – O que faremos majestade?

BAMBINO – Vamos nos divertir! Quem sabe a tristeza vai embora!!

ÔRREI NUNTÁ – E como vamos nos divertir tão tristes?

ARLEQUIM – (DESANIMADO): oba! Que bom!

“A ALEGRIA COMEMORAE A TRISTEZA ENRAIVESSE”

BAMBINO – Cadê a bola?

ARLEQUIM SE LEVANTA DEVAGAR E PEGA ABOLA COM O NARRADOR”.

BAMBINO – Eu e o Arlequim somos um time e vocês dois outro.

ÔRREI NUNTÁ – Mas, eu nem queria brincar!

PRAFICAR DÊBOA – Deixa de ser chato!

BAMBINO – Vamos lá NUNTÁ, só um pouco!

ÕRREI NUNTÁ – Fazer o quê, né?

FORMAM O JOGO, DOIS DE CADA LADO, O REI COMEÇA O JOGO E CHUTA A BOLA PARA O ARLEQUIM. O ARLEQUIM PERDE A BOLA PARA O DÊBOA QUE TOCA PARA NUNTÁ QUE PERDE TENTANDO CHUTAR PARA DÊBOA E A TRISTEZA PEGA A BOLA E JOGA FORA. A ALEGRIA SE INDIGNA E TENTA PEGAR A BOLA, MÁS, A TRISTEZA AMEAÇA PEGAR O REI, E A ALEGRIA VOLTA CORRENDO.

BAMBINO – Como foi que essa bola foi parar tão longe?

ÔRREI NUNTÁ – Não sei. Mas eu nem queria mesmo.

PRAFICAR DÊBOA – Que pena! Agora temos que arranjar outra coisa para brincar!

ARLEQUIM –  (DEITADO): Eu estou tão triste que só quero dormir.

BAMBINO – Já sei! Vamos lanchar! Dêboa, traga os chocolates!

PRAFICAR DÊBOA PEGA OS CHOCOLATES COM O NARRADOR E DÁ UM PARA O REI, UM PARA O ARLEQUIM, UM PARA O NUNTÁ E FICA COM OUTRO.

ARLEQUIM – (SE ANIMA): Oba! Eu gosto disso!

ÔRREI NUNTÁ – Realmente chocolate é muito bom!

PRAFICAR DÊBOA – Estamos progredindo!

BAMBINO – É isso aí!

“A TRISTEZA ROUBA OS QUATROS CHOCOLATES E ENTREGA PARA AS CRIANÇAS”

ARLEQUIM – (FINGINDO QUE CHORA): cadê meu chocolate?

“ A TRISTEZA FAZ POSSE DE FORTE”

ÔRREI NUNTÁ – Eu sabia que não ia dar certo!

PRAFICAR DÊBOA – Levamos mais um, golpe da tristeza.

BAMBINO – Que coisa chata!

OS QUATRO SE SENTAM COM AS PERNAS CRUZADAS E COLOCAM A MÃO NO QUEIXO. A TRISTEZA FICA PERTO DOS QUATRO, O ARLEQUIM E ÔRREI NUNTÁ FICAM MAIS DESANIMADOS. O REI E PRAFICAR DÊBOA, DESANIMADOS.

ENQUANTO ISSO A ALEGRIA VAI ATÉ AS CRIANÇAS E AS CONVENCE A AJUDAR A APEGAR A TRISTEZA, PEGAM AS CORRENTES E DEIXAM DE LADO, A TRISTEZA NEM PERCEBE O QUE A ALEGRIA FEZ. A ALEGRIA LUTA COM A TRISTEZA PARA QUE RETIRE AS MÃOS DE CIMA DO REI E DE PRAFICAR DÊBOA. ENTÃO A ALEGRIA ENTRA E CENA E SACODE O REI E PRAFICAR DÊBOA.

ALEGRIA – Rei Bambino! Rei Bambino! não desanime! Nós iremos conseguir expulsar a tristeza! Praficar Dêboa !Você não vai mais conseguir deixar ninguém alegre.

BAMBINO – Mais eu estou alegre!

PRAFICAR DÊBOA – Eu também!

TRISTEZA – É mentira !Isso não é possível!

ALEGRIA – É verdade! E sabe porque?

TRISTEZA – Porque? Seu intrometido!

ALEGRIA – Porque ainda existe crianças no mundo e nas crianças a TRISTEZA não fica muito tempo.

BAMBINO – Hoje nós vamos te expulsar do meu reino!

TRISTEZA – Há! Há! Há! Isso eu quero vê!

ALEGRIA – Ah! É! Então tudo bem! (FAZ UM SINAL PARA A CRIANÇADA) Vamos pegar a tristeza!

“A ALEGRIA ACORRENTA A TRISTEZA COM A AJUDA DAS CRIANÇAS . O NARRADOR AJUDA A RECOLOCAR AS CRIANÇAS NA PLATÉIA E A TRISTEZA FICA NO CHÃO ACORRENTADA E AMORDAÇADA.

ALEGRIA – Isso é para você aprender a não espalhar a TRISTEZA!

“AGORA TODOS TIRAM OS COLARES DA TRISTEZA”.

BAMBINO – Nuntá, que dia é hoje do mês?

ÔRREI NUNTÁ – (BEM HUMORADO): Oh! Majestade! Hoje é dia 12 de outubro.

BAMBINO – DÊBOA! Precisamos dar um nome especial para esse dia.

PRAFICAR DÊBOA – Ora majestade! Não foram as crianças que venceram a tristeza?

BAMBINO – Foram!

PRAFICAR DÊBOA – Então esse dia deve ser chamado “O dia das crianças”!

ARLEQUIM – Posso lavar a casa?

BAMBINO – Só um pouco que eu vou decretar algo!

ARLEQUIM – Sim! Mas eu posso lavar a casa?

BAMBINO – De hoje em diante eu decreto que esse dia será chamado de “O dia das crianças”, por que foram as crianças que expulsaram a tristeza  desse reino!

ARLEQUIM – Majestade!

BAMBINO – O que foi Arlequim?

ARLEQUIM – Eu posso lavar a casa?

BAMBINO – Pode, e nós iremos te ajudar!

PEGAM OS BALDES E JOGAM A “ÁGUA” NAS CRIANÇAS, OS BALDES ESTRÃO CHEIOS DE PAPEL PICADOS. OS ATORES ENTRAM EM FORMAÇÃO DE MENSURA.

 

FIM!

Deixe um comentário

avatar
  Receber notificações  
Me notifique

Deseja receber nosso conteúdo direto no seu email?