fbpx

HENRI WALLON: UMA CONCEPÇÃO DIALÉTICA DO DESENVOLVIMENTO INFANTIL

Henri Wallon: Uma Concepção Dialética Do Desenvolvimento Infantil
(Izabel Galvão)

Este pequeno livro, da autora Izabel Galvão, introduz o leitor na abrangente e dinâmica teoria dialética do desenvolvimento infantil desenvolvida pelo psicólogo francês Henri Wallon, sendo sua leitura de fundamental importância tanto para estudiosos do psiquismo humano quanto para aqueles que estejam voltados à prática educativa, posto que a teoria walloniana é capaz de conceber aos educadores subsídios diversos para novas reflexões pedagógicas, suscitando a adoção de uma ação educacional que atenda as necessidades da criança nos planos afetivo, cognitivo e motor e que promova o seu desenvolvimento em todos esses níveis.

Uma pedagogia inspirada na psicogenética walloniana não considera o desenvolvimento intelectual como a meta máxima e exclusiva da educação, de forma que o sincretismo dá lugar ao pensamento categorial, não beneficiando tão somente a inteligência, mas a pessoa como um todo. Wallon entende como inconcebível a idéia de uma personalidade que se forma isolada da sociedade, sendo assim, salienta que a educação deve obrigatoriamente integrar, à sua pratica e aos seus objetivos, tanto a dimensão social quanto a individual.

A teoria walloniana identifica a interdependência entre desenvolvimento intelectual e conhecimento, inspirando uma pedagogia em que os conteúdos de ensino têm um papel importante. Outro fator que recebe grande importância na teoria walloniana é o meio, pois este é entendido como o campo sobre o qual a criança aplica as condutas de que dispõe, ao mesmo tempo, que dele retira os recursos para sua ação. Wallon considera que com o desenvolvimento ampliam-se as possibilidades de acesso da criança às várias dimensões do meio, cada etapa do desenvolvimento define um tipo de relação com seu ambiente, o que implica dizer que a cada idade é diferente o meio da criança.

Em termos práticos, isso significa que o planejamento das atividades não deve se restringir somente à seleção de seus temas, isto é, do conteúdo de ensino, mas necessita atingir as várias dimensões que compõem o meio, incluindo uma reflexão acerca do espaço em que será realizada a atividade, decidindo sobre aspectos como a área ocupada, os materiais utilizados, os objetos colocados ao alcance das crianças, a disposição do mobiliário, de modo a propiciar oportunidades de interações sociais, pois, de acordo com Wallon, o ambiente escolar ao possibilitar uma vivência social diferente do grupo familiar, desempenha importante papel na formação da personalidade da criança e quanto maior a diversidade de grupos de que participar, mais numerosos serão os parâmetros de relações sociais, o que tende a enriquecer sua personalidade.Cabe, por fim, dizer que a leitura deste pequeno livro fornece não somente informações e explicações muito relevantes acerca das características da atividade da criança nas várias fases do seu desenvolvimento – quando e como este desenvolvimento se dá -, mas também procura demonstrar – de maneira bem mais sucinta, é verdade ? as dimensões político-sociais da educação, melhor conscientizando o leitor de que entre o regime político de determinada sociedade e o sistema educacional nela vigente a relação não é meramente causalidade, de modo que, mesmo que não seja notado explicitamente, a educação tem sempre um papel político, já que os regimes políticos invariavelmente prolongam seus objetivos à educação.

Deixe um comentário

Deseja receber nosso conteúdo direto no seu email?