fbpx

Dias das Mães, também conhecido como: “Você não é todo mundo”

Dia das Mães é um dia específico para comemorar um tipo de amor. Um amor compreendido somente por quem o sente. Um sentimento que torna as limitações humanas questionáveis, pois por conta dele, passam por situações inexplicáveis. Um apreço que pode transformar uma simples mulher em uma heroína.

É uma data simbólica, pois as mães estão enraizadas e são lembradas em cada aprendizado de seus filhos. Desde a lembrança de levar o guarda-chuva e o casaco (pois nunca se sabe quando irá chover e esfriar), mesmo sendo crescido e independente, até na formação do caráter, quando ensina que “respeito é bom e conserva os dentes”.

Veja aqui algumas ideias de cartões para o dia das mães.

As mães possuem motivos de sobra para terem uma data específica. Mas quando especificamente esse dia surgiu? Você sabe? Conhece a história por trás dessa comemoração do Dia das Mães? Acompanhe agora os detalhes dessa data especial.

A história por trás do Dia das Mães

Obviamente quem lutou para ter essa data marcada nos calendários foi um filho, mais especificamente uma filha, Anna Jarvis. Uma norte-americana que em 1905 perdeu a mãe Ann Marie Reeves Jarvis e decidiu de alguma forma homenagear-lá.

Anna Jarvis, e sua mãe Ann Marie Reeves Jarvis
Anna Jarvis, e sua mãe Ann Marie Reeves Jarvis

Anna iniciou um movimento com algumas amigas para mostrar a importância da representatividade materna na vida do ser humano. Dentro da Igreja Metodista em que frequentava em Grafton, na Virgínia Ocidental, compartilhou seus pensamentos com crianças e jovens também frequentadoras do local.

Seu ato memorável não foi reconhecido de imediato, mas após alguns anos ela conseguiu atrair atenção do governador da época, William E. Glasscock, com um culto especial do Dia das Mães. Tocado, William estabeleceu a data de 26 de abril como um dia especial às mães de Virgínia.

O culto prestado às mãe e presenciado por William na igreja foi tão significativo que ele não se contentou em apenas declarar uma data especial no estado que morava, seguiu com a missão de instigar outros governadores a reconhecerem tal data.

Por fim a ação chegou até o presidente dos Estados Unidos da época, Woodrow Wilson, que decretou a comemoração do Dia das Mães na data antes estabelecida por Anna, o segundo domingo de maio. E desde 1914 a data é oficializada nos Estados Unidos.

O surgimento do Dia das Mães no Brasil

Apesar de ser uma comemoração internacional, o Dia das Mães foi instituído e é comemorado em tempos diferentes em cada país. No Brasil, esse dia começou a ser celebrado em 1918 na Associação Cristã de Moços de Porto Alegre, mas foi oficialmente registrado em 1932 pelo então presidente da época, Getúlio Vargas.

Ao contrário da motivação que levou a comemoração do Dia das Mães nos EUA, consideram que no Brasil, a data foi instituída como homenagem à Maria, mãe de Jesus. Ou seja, a data foi estabelecida como comemoração de cunho religioso.

Mas independentemente de como surgiu a data, e quão diferentes sejam, as mães sempre serão figuras heroínas dignas de todo reconhecimento possível, seja por uma data, um presente, um abraço ou um sorriso.

Afinal, independente de serem mães de primeira ou segunda viagem, mães de coração ou mães de sangue, elas sempre serão capazes de darem colo, enfrentarem um urso, levantarem um carro, reagirem a um assalto, ficarem dias sem dormir e darem a sua vida pelos filhos. Não, isso não é mentira, veja histórias assim.

Enfim, é por isso que a palavra mãe ensina a todos sobre amor. Um amor imensurável e difícil de explicar. Um amor admirável e aqui comemorado todos os anos no segundo domingo do mês com o Dia das Mães, mas que é lembrado todos os dias.

Homenagem a todas as mães do mundo! ❤

Inacreditável termo que com três letras dizem muito mais do que mil palavras. Não importa a cor da pele, dos cabelos, dos olhos, o encanto destas letras nos remete ao ventre de uma mulher justa ou injusta, mas mãe.

Mãe que briga, que dá carinho, que nunca permite que seus filhos caiam; se caírem, sua mão está sempre estendida para levanta-los.

Mãe e Filha: Lia e Soraya

Mãe que perdoa, mãe que lamenta, mãe que sofre por um filho, que em seu silêncio  dedica sua vida a vidas de outrem sem pensar na sua própria existência.

Mãe que um dia embalou em seu colo, uma ser, que amamentou, que o aqueceu em seu peito que mesmo partido pela dor de ser só, não deixou de alimentar seu filho e de sustentar sua alma de esperança e de dias melhores de vida, até mesmo os desprovidos de alegria.

Pobre mãe!

Mãe, sinônimo de consternação, pois cada filho é um pedaço seu.

Seu amor é perene, mesmo que sua alma transcenda o universo, partindo para outra imaginável dimensão, ela estará sempre presente em nossos devaneios contemplativo: nossos sonhos…

Texto: Mãe – Amor Além do Tempo

Autora: Soraya Mendonça Marques (o texto acima fiz em homenagem a minha mãe Lia Mendonça, que nos deixou para encontrar-se com nosso Deus. Muitas saudades).


Deixe um comentário

avatar
  Receber notificações  
Me notifique

Deseja receber nosso conteúdo direto no seu email?