fbpx

O DESENVOLVIMENTO DA INTELIGÊNCIA DA CRIANÇA


A criança é um ser dinâmico que interage com o mundo que a cerca. Essa interação com o ambiente é que vai possibilitar a construção das estruturas da inteligência.


Como?

Por exemplo, quando a criança tem a oportunidade de manipular um objeto ela é capaz de entendê-lo à medida que ela experimenta suas características, tais como: se ele é liso, áspero, grande, pequeno, pesado, leve; se ele pode ser aberto, fechado, se pode bater, se ao jogá-lo ele pula ou não etc. Tais atitudes é que irão permitir que ela aprenda sobre o objeto.

Agora, imagine uma situação diferente. Um adulto apenas mostra o objeto à distância e explica para a criança que ele é áspero, que não pode bater, que ele é quadrado, é grande etc. Será que dessa forma a criança irá aprender sobre esse objeto?

O eixo central dos estudos de Piaget concentra-se nos resultados provenientes da interação organismo-meio, o qual ocorre através de dois processos simultâneos: a organização interna e a adaptação ao meio, funções exercidas pelo organismo ao longo da vida. No processo de desenvolvimento, quando a criança adapta-se a uma nova situação, ela organiza o seu conhecimento.

É a partir da interação entre o sujeito e o meio, que ocorrerá a construção das estruturas da inteligência, o que implica no desenvolvimento intelectual. Esse desenvolvimento ocorre por meio de um processo de equilibração progressiva, uma passagem contínua de um estado de menor equilíbrio para um estado de equilíbrio superior. Portanto, é em termos de equilíbrio que ocorre a evolução da criança desde o seu nascimento até a adolescência.

Toda ação supõe um interesse que a desencadeia e o mesmo pode estar relacionado a uma necessidade fisiológica, afetiva ou intelectual. Assim, a necessidade apresenta-se, segundo Piaget (2002), como um fator indispensável para desencadear a ação. Esclarece, pois, que toda ação, movimento, pensamento ou sentimento correspondem a uma necessidade, já que, tanto a criança como o adulto, só agem quando impulsionados por um motivo, que implica sempre uma necessidade.

Toda necessidade gera um desconforto ou um desequilíbrio capaz de impulsionar ou desencadear a busca da satisfação ou o restabelecimento do equilíbrio. Desse modo, pode-se completar essa afirmação com as palavras de Piaget (2002): Toda necessidade tende: 1o. a incorporar as coisas e pessoas à atividade própria do sujeito, isto é, “assimilar” o mundo exterior a estruturas já construídas, e 2o a reajustar estas últimas em função das transformações ocorridas, ou seja, “acomodá-las” aos objetos externos. (p.17)

Assim, quando a criança assimila o objeto, sua ação e o seu pensamento são obrigados a se acomodarem a ele. Dessa forma, reporta-se à questão da organização interna e à adaptação ao meio, descritas acima. Ao organizar-se internamente, a criança adapta-se ao meio e essa adaptação nada mais é do que o equilíbrio entre a assimilação e a acomodação.

É essa dinâmica que irá acompanhar todo o processo de desenvolvimento mental da criança, e a adaptação dela à realidade será cada vez mais precisa.

Fonte: http://psicologiaeeducacao.wordpress.com

Deixe um comentário

avatar
  Receber notificações  
Me notifique

Deseja receber nosso conteúdo direto no seu email?