fbpx

CRIANÇAS VÊEM O MUNDO DE FORMA DIFERENTE DOS ADULTOS

Leia livros sobre este assunto

Crianças vêem o mundo de forma diferente dos adultos

Uma nova pesquisa indica que as crianças realmente não vêem os objetos da mesma forma que os adultos. Elas só têm uma visão “totalmente madura” a partir da idade de 13 anos.

O estudo incluiu 171 crianças, entre 4 e 10 anos. Para saber a diferença entre as percepções, os pesquisadores britânicos mostraram 10 formas em relevo, como quadrados e imagens sombreadas, para cada criança. Em seguida, eles perguntaram aos participantes se aquela imagem era côncava ou convexa. A resposta “correta” assumia que o objeto era “iluminado de cima”, ou seja, a luz que o atingia vinha de cima.

Ao julgar se as imagens sombreadas são côncavas ou convexas, o cérebro adulto assume que a luz vem de cima, a menos que existam razões para se pensar o contrário. Os pesquisadores descobriram que as crianças têm que aprender essa habilidade.

Os resultados mostram que ela vai ficando melhor com a idade. Em média, a cada ano a mais que a criança tinha, ela melhorava 10 pontos nos acertos, com uma melhoria de 0,43 a cada ano. Se crianças de outras idades se desenvolvem nesse mesmo ritmo, os pesquisadores prevêem que os bebês aprendem a assumir que a luz vem de cima com cerca de 21 meses. Mas este aspecto da sua percepção visual não será “totalmente maduro” até mais ou menos a idade de 13 anos.

Segundo os cientistas, as crianças realmente vêem o mundo de forma diferente do adulto, na medida em que suas percepções parecem ser mais variáveis.

O que você achou do texto acima? Gostou? Acha que pode ser útil pra mais alguém?

Se sim, eu gostaria de te pedir encarecidamente que compartilhasse, além de transmitir a informação, você ajuda no crescimento do nosso site! 😘

Kit Acelera ABC

Comentários

É muito importante saber a sua opinião. Adoramos quando você comenta, pois assim sabemos quais os rumos que devemos seguir através dos nossos artigos. Tudo o que você sugere ou comenta é avaliado para somar ao conteúdo que desenvolvemos.

Deixe uma opinião sobre o que achou do texto acima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *