REDAÇÃO

Pesquise na caixa abaixo.

Custom Search


AGUARDE O CARREGAMENTO COMPLETO

E

SALVE ESTA MATÉRIA

carregando


1. Considerações

Preliminarmente, enfatizamos que todos os textos dissertativos em que este método foi aplicado e respeitado na sua integra foram bem avaliados pelas comis

sões responsáveis pela correção das redações. A título de exemplo, este oficial da Polícia Militar responsável pela difusão deste esquema já foi aprovado três vezes consecutivas no CFO, graças à praticidade desta metodologia, sendo obtidas as notas: 99, 95 e 90 nas redações. Estas notas não podem ser atribuídas a mérito pessoal e sim à aplicação de uma metodologia simples, objetiva de fácil aplicação que pode ser comparada a uma verdadeira regra para textos dissertativos, não importando o assunto proposto.

Procuraremos ser bastante objetivos na tentativa de explicação deste método e pedimos sua dedicação máxima em busca da sua absorção deste valioso conhecimento, embora achemos que o ensino verbal é didaticamente o mais viável para a obtenção do aprendizado desejado, pois possibilita o saneamento oportuno das dúvidas. A aplicação deste esquema pode facilitar o seu ingresso nas fileiras de uma corporação respeitada a nível nacional pela sua competência e seriedade com que lida com a segurança pública. Não basta dizermos que uma redação tem que conter introdução, desenvolvimento e conclusão, temos que saber o que e em qual ordem deve ser escrito nestas três repartições do texto dissertativo.

É notório que as redações são consideradas os “bichos papões” dos concursos públicos em geral. Isto se deve à sua grande valoração; ao desconhecimento dos temas, só conhecidos no momento da avaliação e, principalmente, pela ansiedade e nervosismo que assolam a mente do candidato. Com a adrenalina em alta fica difícil falar sobre qualquer assunto e o redator tende a se preocupar somente com o tempo, escrevendo com quantidade e sem qualidade; ou fugindo do assunto; sem sequência e coordenação de idéias; com erros de ortografia e etc. Quase todos estes erros podem ser combatidos com feitura antecipada de um planejamento dissertativo. A calma se consegue quando o candidato já sabe o conteúdo e onde será desenvolvida sua argumentação.

De tudo posto, se o candidato apenas se preocupar em seguir o esquema que esboçaremos adiante, automaticamente estará atendendo a todas as regras exigidas para uma redação digna de uma boa nota. Além do mais, nos vestibulares em geral dificilmente os candidatos se saem bem em todas as provas e é neste contexto que entra a prova de redação para fazer a diferença. Não adianta o candidato fazer uma boa prova de múltipla escolha e se sair mal na redação, ao passo que uma redação bem avaliada absorve a pouca nota obtida nas provas de múltipla escolha e distingue o candidato dos demais.

2. Diferenciação entre Tema e Título

Geralmente o candidato confunde tema e título, principalmente porque os assuntos exigidos nas redações são erroneamente denominados temas, mesmo sendo sua maioria absoluta apenas títulos. Quando não oferecido, o tema deverá será fabricado pelo redator, a partir do título. Esta confusão por parte do candidato pode redundar numa fuga do assunto, numa escrita excessiva ou, até mesmo, numa falta de coordenação do pensamento. Veja um exemplo fictício: Se na redação do CTSP/2004 for sugerido o tema “A Inflação”, logo de cara o candidato deverá observar que se trata de um título e criar o seu tema a partir dele.

Você pode estar com dúvida em como transformar este título em um tema. É simples, basta tão somente acrescer um verbo a este título, transformando-o numa oração que conseqüentemente vai afirmar ou negar alguma coisa. E esta oração será a base para sua argumentação, pois ao construir um tema, você automaticamente estará traçando a sua unidade de pensamento imprescindível em qualquer texto dissertativo e impedindo a fatal fuga do assunto. Exemplo: Acrescentamos um verbo (destruir) ao título “A Inflação” e o transformamos na oração: “A Inflação destrói o nosso poder econômico”. Poderíamos também ter escolhido vários outros temas e a partir do momento em que o escolhemos um, toda argumentação ficará atrelada a ele.

De tudo posto, visando um maior aprendizado, optamos por mostrar esta diferenciação através do quadro e organograma abaixo

tabela

O título deverá ser grafado na primeira linha da redação com letras iniciais maiúsculas e pode ser reduzido para que caiba nesta linha quando for muito extenso. Porém, é necessário que se mantenha idéia central. Exemplo: “A Importância da Ética no Serviço Policial Militar” pode ser reduzido para “A Ética Policial Militar”.

Atenção, este organograma abaixo o ajudará na diferenciação do tema e título:

figura

Explicação do organograma:

Imagine um hexágono regular de onde saem várias linhas. Pois bem, cada linha representa uma unidade de pensamento em relação ao conteúdo do polígono regular.

O conteúdo do hexágono é o título e cada linha que sai deste título é uma alternativa para tema.

Cada linha é uma oração feita a partir do título. Embora colocamos apenas 03 exemplos, são inúmeras as possibilidades.

O importante é que se escolha apenas um e baseie toda a sua argumentação nele.

3. Criação de um quadro Conclusivo

Já conhecidos o título e o tema o candidato deverá criar um quadro que contenha nesta ordem o título, o tema e dois argumentos; o qual servirá de consulta e será a base para o planejamento do texto dissertativo. Ratificando, a partir do título cria-se um tema e a partir desta unidade de pensamento criamos apenas dois argumentos. Para criarmos estes argumentos, perguntamos “Por quê? ao tema. Assim, os argumentos são as razões pelas quais tomamos alguma posição (tema) a respeito de um assunto genérico (título). Analise o quadro consultivo exemplificado abaixo e entenderá a seqüência dissertativa:

tabela

Este quadro é a base para o início planejado da nossa redação. Com ele pronto, o candidato rascunhará o texto, após, é claro, conhecer o conteúdo de cada um dos quatro parágrafos em que se subdivide a nossa redação, o que veremos agora:

Qualquer texto dissertativo que deva atender ao máximo de 30 linhas e mínimo de 100 palavras se subdividirá em quatro parágrafos. São eles: Introdução (1º parágrafo), Desenvolvimento do 1º argumento (2º parágrafo), Desenvolvimento do 2º argumento (3º parágrafo) e Conclusão (4º parágrafo). Não basta sabermos esta subdivisão, temos que conhecer também a composição de cada parágrafo, ou seja, a fórmula de cada subdivisão, principal responsável pela excelência deste método em analogia aos demais.

4. Introdução da Redação

A introdução, como a própria palavra já diz, introduz, menciona, dá notícia de forma simplificada dos assuntos a serem dissertados pelo redator. Ela se inicia na quarta linha do texto dissertativo, isto é, conforme já dissemos, coloca-se o título na primeira linha, saltam-se a segunda e a terceira e inicia-se na quarta linha. Por conseqüência da sua definição, a introdução deve ser concisa e menor que os parágrafos do desenvolvimento, contendo em média de 3 a 5 linhas somente.

A introdução tem início com um termo/palavra que deixe clara a imparcialidade do dissertador, seguida do tema e dos argumentos ligados por conjunção, tudo extraído do quadro consultivo. Padronizaremos estava palavra inicial por “Sabe-se” e as conjunções: “pois”, e “além do mais”, aplicáveis a qualquer assunto. Então podemos estabelecer a seguinte fórmula para a introdução de qualquer redação

tabela

Os elementos escritos com letras maiúsculas podem ser extraídos do quadro consultivo já explicado no capítulo anterior.

Tomando-se por base o exemplo oferecido pelo organograma veremos como ficaria a introdução de sua redação:

texto

OBS Nesta ordem estão sublinhados o tema e os argumentos.

tabela

A introdução padrão é nada mais nada menos que este exemplo acima. Seguindo esta regra você fará obrigatoriamente uma introdução perfeita, tanto na forma quanto no conteúdo e não falará em demasia. Pois, é muito comum o redator de forma desacertada desenvolver os argumentos logo na introdução. Todos já ouvimos um ditado popular que diz “a primeira impressão é a que fica”, desta forma, a primeira impressão que a comissão corretora vai ter do seu texto se formará a partir da leitura de sua introdução.

5. Desenvolvimento do Argumneto 01

O desenvolvimento do primeiro argumento ocorre no segundo parágrafo da redação, logo após a introdução. É agora que vamos dissertar a respeito deste argumento, escrevendo todos os aspectos que o envolvem e não na introdução.

Assim como a introdução, este segundo parágrafo também possui sua composição pré-definida, ou seja, tem uma formula que dita o seu conteúdo, facilitando em muito a vida do candidato. Este esquema pode ser comparado a um corpo humano, pois cada órgão ou membro já tem o seu local específico. Esperamos que você já tenha vislumbrado o porquê da eficiência deste método. Senão, atente-se que o candidato só vai ter o trabalho de escrever o texto e evitar erros de ortografia e concordância, uma vez que o método já lhe determina o que e onde colocar suas idéias.

O segundo parágrafo começa com uma palavra/termo que atrela o fato ao conhecimento de todos, indicando que a percepção do argumento não é apenas do redator, reforçando a sua imparcialidade para com o texto e dando seqüência de idéias entre os parágrafos (coerência). Sabemos que o candidato deve ser imparcial em sua argumentação, isto é, deve deixar claro que está enxergando o problema numa visão parcial, sem entrar no seu mérito, dando opinião pessoal. Estas frases/termos de cunho imparcial e conhecimento amplo podem ser as seguintes, a título de sugestão: É do conhecimento de todos; É bastante noticiado nos meios de comunicação; É notório; Sabemos e etc. É nesta opinião pessoal que a maioria dos candidatos pecam e têm seus textos zerados.

Além deste termo inicial, outra figura importante deste segundo parágrafo é o tópico frasal que nada mais é do que a repetição do primeiro argumento escrito em outras palavras, pois sabemos que nos textos dissertativos devemos evitar repetições de palavras, ainda mais de um argumento inteiro. Ainda neste mesmo parágrafo, há o desenvolvimento deste tópico frasal que ocorre com a alocação, nesta ordem, de suas causas, conseqüências e fato exemplo. Enfim, escrevemos abaixo a regra para a redação do segundo parágrafo, aplicável também para o terceiro:

tabela

Tomando-se por base o exemplo oferecido pelo organograma veremos como ficaria o segundo parágrafo de sua redação:

“É notório que o mundo atual está à beira de uma guerra nuclear, uma vez que alguns países já estão em plena atividade nuclear e os conflitos e ameaças são uma realidade entre as grandes nações. Vislumbramos um planeta movido e alicerçado em interesses imperialistas e comerciais, onde prevalece o poderio bélico. Esta política armamentista pode redundar num massacre e extinção da raça humana, pois as bombas atômicas, hoje fabricadas, são várias vezes mais potentes que a destruidora das cidades de Hiroshima e Nagazaqui, ao término do segundo grande conflito mundial. A detonação destes artefatos bélicos seria capaz de ceifar em segundos milhares e milhares de vidas inocentes. Atualmente o Oriente Médio é um barril de pólvoras prestes a explodir.”

Veja que seqüencialmente estão grafados o argumento em outras palavras, suas causas, suas conseqüências e fato exemplo.
6. Desenvolvimento do Argumento 02

O desenvolvimento do segundo argumento ocorre no terceiro parágrafo da redação e as regras são quase as mesmas utilizadas para o segundo. Da mesma forma, aqui será desenvolvido o segundo argumento, com suas causas, conseqüências e fato exemplo.

tabela

Tomando-se por base o exemplo oferecido pelo organograma veremos como ficaria o terceiro parágrafo de sua redação:

“Por outro lado, estamos assistindo à destruição dos recursos naturais, imprescindíveis para a sobrevivência do homem. Em busca de enriquecimento pessoal e tecnológico, o homem está degradando matando os animais, poluindo os rios, desmatando as florestas e poluindo o ar. Como conseqüência deste desrespeito, vimos as alterações climáticas, a diminuição da camada de ozônio e outras problemas que afetam a espécie humana. O homem não percebe que o meio ambiente é a engrenagem que permite sua permanência no planeta. O maior exemplo brasileiro deste desrespeito está na destruição diária da floresta amazônica considerada o pulmão do mundo.”

Veja que seqüencialmente estão grafados o argumento em outras palavras, suas causas, suas conseqüências e fato exemplo.

7. Conclusão da Redação

Para fecharmos com chave de ouro, a conclusão deve começar com expressões que tenham idéias conclusivas, tais como: De tudo posto; Diante do exposto; Concluindo; Diante da argumentação e etc, seguidas da ratificação do tema em outras palavras. Encerramos o parágrafo e conseqüentemente a nossa redação, não oferecendo uma solução para o problema e sim torcendo para que algo seja feito para soluciona-lo em busca reversão da situação apresentada na argumentação. Apenas dizemos o seguinte: “É desejo de todos nos que algo seja feito com vistas a …..”

Tomando-se por base o exemplo oferecido pelo organograma veremos como ficaria a conclusão de sua redação:

De tudo posto, vimos que a raça humana está real e diuturnamente destruindo o seu próprio habitat e concomitantemente minorando a sua qualidade de vida no planeta. É desejo de todos nós que algo seja feito com vistas a transformar mundo moderno num local seguro e agradável para se viver e criar nossos filhos, sob pena de não sobrevivermos por muito tempo.

8. Aspectos que devem ser Observados

Muitos erros devem ser evitados nas redações, muitos deles fatais, tais como: fuga do assunto, duplo sentido e outros. Porém, certamente, se este método for respeitado em sua íntegra, muitos destes erros serão automaticamente evitados. Preocupe-se apenas em segui-lo e não fugirá do assunto, não falará demais e terá seqüência e coordenação de idéias.

Siga este método e sua redação terá as exigidas: Unidade (toda argumentação relacionada com o tema), coerência (seqüência de idéias entre os parágrafos) e ênfase (fala-se tão-somente do que deve ser falado).

Ressalte-se que mesmo com a aplicação deste método alguns erros podem ocorrer e devem ser evitados a todo custo. São eles:

Evite ao máximo erros de ortografia, se não tem certeza da grafia correta de uma palavra, não a escreva, procure uma outra conhecida;

Evite repetições de palavras, embora o método por si só já evita estas repetições;

Procure uma linguagem simples evitando-se a colocação de palavras difíceis que destoam das demais palavras e que seja de fácil entendimento do leitor;

Evite a conhecida cacofonia;

Priorize uma linguagem simples e objetiva;

Usar sempre a primeira pessoa do plural (nós).

Finalizando, esperamos termos atingido o nosso objetivo. Tentamos nestas dez páginas, simplificar ao máximo este método, de modo fosse entendido com facilidade pelo candidato e aplicado com sucesso no concurso da PMMG. Caso tenha alguma dúvida nos procure e teremos o prazer em saná-la.

Anexo 1( Redação completa baseada no esquema)

O Mundo Moderno

“Sabe-se que o mundo moderno caminha para sua autodestruição, pois é iminente a eclosão de uma catástrofe nuclear e, além do mais, há uma grande degradação do meio ambiente em que vivemos”.

“É notório que o mundo atual está à beira de uma guerra nuclear, uma vez que alguns países já estão em plena atividade nuclear e os conflitos e ameaças são uma realidade entre as grandes nações. Vislumbramos um planeta movido e alicerçado em interesses imperialistas e comerciais, onde prevalece o poderio bélico. Esta política armamentista pode redundar num massacre e extinção da raça humana, pois as bombas atômicas, hoje fabricadas, são várias vezes mais potentes que a destruidora das cidades de Hiroshima e Nagazaqui, ao término do segundo grande conflito mundial. A detonação destes artefatos bélicos seria capaz de ceifar em segundos milhares e milhares de vidas inocentes. Atualmente o Oriente Médio é um barril de pólvoras prestes a explodir.”

“Por outro lado, estamos assistindo à destruição dos recursos naturais, imprescindíveis para a sobrevivência do homem. Em busca de enriquecimento pessoal e tecnológico, o homem está degradando matando os animais, poluindo os rios, desmatando as florestas e poluindo o ar. Como conseqüência deste desrespeito, vimos as alterações climáticas, a diminuição da camada de ozônio e outras problemas que afetam a espécie humana. O homem não percebe que o meio ambiente é a engrenagem que permite sua permanência no planeta. O maior exemplo brasileiro deste desrespeito está na destruição diária da floresta amazônica considerada o pulmão do mundo.”

De tudo posto, vimos que a raça humana está real e diuturnamente destruindo o seu próprio habitat e concomitantemente minorando a sua qualidade de vida no planeta. É desejo de todos nós que algo seja feito com vistas a transformar o mundo moderno num local seguro e agradável para se viver e criar nossos filhos, sob pena de não sobrevivermos por muito tempo.

Anexo 2 (Modelo da folha de redação da Polícia Militar)

Dados do Candidato

tabela

Autor: Naty Rofer

    SALVE ESTA MATÉRIA!

    Deixe uma resposta