RESUMO: ABORDAGEM SOCIOCULTURAL

Pesquise na caixa abaixo.

Custom Search


AGUARDE O CARREGAMENTO COMPLETO

E

SALVE ESTA MATÉRIA

carregando

Abordagem Sociocultural


MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti. Ensino: As abordagens do processo. Abordagem sociocultural São Paulo: EPU, 1986.119p.p.85-103.


Resumo:

ABORDAGEM SÓCIO-CULTURAL

Tem como principal inspirador Paulo Freire.

Surge em um contexto pós-segunda guerra mundial e se liga a problemática da democratização da cultura.

Homem e Mundo: Segundo Paulo Freire, o homem é o sujeito da educação.

Evidência-se uma tendência interacionista, já que há interação homem-mundo, sujeito-objeto, é impressindível para que o ser humano se desenvolva e se torne sujeito de sua práxis.

O homem chegara a ser sujeito através da reflexão sobre o meio ambiente concreto.

O homem é um ser situado no mundo e com o mundo, portanto não pode ser avaliado sem que seu contexto de inseção no mundo seja avaliado.

Sociedade-Cultura: O homem cria a cultura na medida que vem se integrando nas condições de seu contexto de vida.

A história consiste nas respostas dadas pelo homem à natureza, aos outros homens, às estruturas sociais, e na sua tentativa de ser progressivamente cada vez mais o sujeito de sua práxis, ao responder aos desafios de seu contexto.

Conhecimento: A elaboração e o desenvolvimento do conhecimento estão ligados ao processo de conscientização.

Educação: O homem nessa abordagem é o sujeito da educação pois ela se dá através da reflexão sobre o homem e pela análise do meio de vida desse homem concreto.

O homem não participara ativamente da história, da sociedade, da transformação da realidade, se não tiver condiçãoe sde tomar consciência da realidade e, mais ainda da sua própria capacidade de transformá-la.

A educação se dá enquanto processo, em um contexto que deve necessáriamente ser levado em concideração.

Nessa abordagem a educação é um fator de sum importância na passagem das informações mais primitivas de consciência para a consciência crítica, que por sua vez não é um produto acabado, mas um vir-a-ser contínuo.

Escola: Para Paulo Freire, a educação assume carácter amplo, não restrita à escola em si e nem em um processo de educação formal. Caso a escola seja conciderada, deve ser ela um local onde seja possível o crescimento mútuo, do professor e dos alunos, no processo de conscientização , o que implica uma escola diferente da que se tem atualmente, com seus curriculos e prioridades.

Ensino-Aprendizagem: Uma situação de ensino-aprendizagem, entendida em seu sentido global, deverá procurar a superação da relação opressor-oprimido.

Professor-Aluno: A relação professor-aluno é horizontal e não imposta. Para que o processo educacional seja real é necesssário que o educador se torne educando e o educado por sua vez , educador.

O homem assumirá posição de sujeito de sua própria educação e, para que isto ocorra, deverá estar conscientizado do processo: é portanto, muito dificil pretender participar de um processo educativo que por sua vez, é processo de conscientização, a menos que seja consciente de si e de tal processo.

Um professor que esteja engajado numa prática transformadora procurará desmistificar e questionar, com o aluno, a cultura dominante, valorizando a linguagem e cultura deste, criando condições para que cada um deles analise seu contexto e produza cultura.

O professor procurará criar condições para que, juntamente com os alunos a consciência ingênua seja superada e que estes possam perceber as contradições da sociedade e grupos em que vivem.

Haverá preocupação com cada aluno em si, com o processo e não com produtos de aprendizagem acadêmica padronizados.

Metodologia: Tema Gerador que objetiva explicitar o pensamento do homem sobre a realidade e a sua ação sobre ela, o que constitui a práxis.

Caracteristicas básicas:

  • ser ativo;
  • dialógico;
  • e crítico;
  • criar um conteúdo programatico próprio, e usar tecnicas tais como redução e codificação.

Avaliação: A avaliação do processo consiste na autoavaliação e/ou avaliação mútua e permanente da prática educativa por professor e alunos.

Qualquer processo formal de notas, exames, etc. Deixa de ter sentido em tal abordagem.

No processo de avaliação proposto tanto alunos como professores saberão quais as dificuldades e quais os progressos.

Autor: Thays Simoka

SALVE ESTA MATÉRIA!

Deixe uma resposta