A CONTRIBUIÇÃO DA ESCOLA PARA FORMAÇÃO DE BONS HÁBITOS ALIMENTARES

Pesquise na caixa abaixo.

Custom Search


AGUARDE O CARREGAMENTO COMPLETO

E

SALVE ESTA MATÉRIA

carregando

A contribuição da escola para a formação de bons hábitos alimentares.

Resumo

Este artigo objetiva apresentar um estudo, sobre a importância do valor nutricional da alimentação, e principalmente alimentação escolar saudável, a escola e um espaço muito privilegiado que influencia direto em uma alimentação saudável, ela e sem duvida um vinculo fundamental na formação de valores, hábitos e estilos de vida, entre eles o da alimentação, que se estende por longo da vida. A escola deve proporcionar um ambiente favorável de saberes e sabores, contribuindo para uma relação saudável dos educando com a alimentação. Isso ocorre desde cedo já na educação infantil, para compreender e assmilar as transformações que ocorre no ambiente, por meio de uma alimentação saudável e nutritiva.

Palavras-Chaves: Escola; Alimentação; Saúde

1 Introdução

A alimentação escolar é um direito previsto na Constituição Federal conquistada pelos os alunos brasileiros que frequente educação infantil e ensino fundamental durante o período de aula. É regulamentada por Lei Federal, devendo suprir no mínimo, 15% das necessidades escolares diária das crianças. (WEIS, CHAIN, BELIK, 2005).

A escola desempenha papel fundamental na formação dos hábitos de vida e da personalidade da criança, sendo que ocupa praticamente um terço da vida ativa do escolar. As escolas devem oferecer alimentação equilibrada e orientar seus alunos para a prática de bons hábitos de vida. As conseqüências principais da alimentação inadequada no período escolar podem ser caracterizadas como alterações do aprendizado e da atenção, carências nutricionais específicas ou decorrentes do excesso de alimentos (sobrepeso e obesidade).

Se tratando da obesidade, a preocupação atual dos profissionais de nutrição, médicos e nutricionistas, direciona-se sobre a necessidade de implantação de “momentos”de educação nutricional nas escolas. Com essa ação poderíamos combater a epidemia de obesidade infantil que esta vigorando no mundo e no Brasil.

O lanche é fundamental do ponto de vista nutricional. As crianças em idade escolar, no qual há um desenvolvimento de atividades físicas (brincadeiras, pular, correr) e intelectuais (capacidade de concentração, familiarização com letras e números), não devem permanecer longos períodos em jejum.

A criança adequadamente nutrida pode apreender melhor os conhecimentos de informação e possui melhor capacidade de discernimento e interação pedagógica.

Durante o período em que a criança permanece na escola ela tem que te proporcionar animo, bem estar e alimentação saudável, pois uma boa alimentação contribui para um melhor desempenho, evitando se também doenças.

A escola desempenha um papel fundamental na formação dos hábitos de vida e da personalidade da criança.

Sem se esquecer que a família é responsável pela alimentação da criança e, portanto, pela formação do hábito alimentar, pois a riqueza da nossa cultura alimentar precisa ser preservada pelos adultos e ensinada às crianças e adolescentes.

2 Como Preparar um Lanche Saudável e Equilibrado

Líquido: Para repor as perdas hídricas ocorridas durante as atividades físicas e as perdas normais (sudorese, diurese…).

Devem ser acondicionados em garrafas térmicas de lancheiras. Podem ser água, ( a água e responsável por 70% de nosso peso corporal), suco, chá, água de coco engarrafada ou em embalagem tetra-pack. Os refrigerantes devem ser evitados.

texto

Frutas:

Por serem ricos em vitaminas, sais minerais e fibras, auxiliam em diferentes funções orgânicas e no funcionamento intestinal. As mais práticas são o que podem ser consumidas com casca ou cuja casca pode ser retirada com facilidade, (maçã, banana, pêra, mexerica, uva, etc…)

Fonte de carboidratos:

Sua principal função é fornecer energia. Pães, arroz, milho, massas, bolachas, bolos, etc… são opções nutritivas e variadas. Cuidado com a quantidade, pois fazem apenas parte do lanche.

Fonte de proteínas:

Estas são responsáveis pela construção e manutenção dos tecidos do corpo, além de estarem ligadas ao bom funcionamento do sistema imunológico. Ofereça proteínas lácteas, derivados do leite, (queijos, requeijões, iogurtes, etc…)

Devemos enfaticamente evitar refrigerantes e salgadinhos (““isopor foods”“), alem de não possuírem valor nutricional, propiciam obesidade e distúrbios metabólicos ( alterações em níveis de colesterol, triglicérides e glicemia)

O horário de lanche da escola, o tipo e quantidade de alimentos devem ser selecionados cuidadosamente para não prejudicar as refeições principais. Os cardápios devem ser além de nutritivos atraentes, variados, coloridos e sempre que possível conter alimentos de preferência da criança. O ideal é equilibrar a alimentação ao longo do dia, por exemplo, se no desjejum a criança ingeriu apenas leite com pão, observa-se a falta de alimentos do grupo das vitaminas e minerais. O recomendado neste caso é oferecer o no lanche da manhã uma fruta ou suco, que represente este grupo alimentar.

texto

2 A Função da Unidade Escolar

Sabemos que a escola é um ambiente de aprendizagem, portanto é muito importante que a alimentação também seja considerada uma atividade educativa onde, todos valorizem o Programa de Alimentação e, forneçam aos alunos informações e conhecimentos relacionados à alimentação e saúde.

2.1 Na Escola Aprende a Comer, e ter Responsabilidade nas suas Escolhas Alimentares

Não seria muito mais saudável incentivar o seu filho a se alimentar da refeição oferecida na escola ao invés de comer salgadinhos cheios de gordura e sal, refrigerantes e outras guloseimas, de origem muitas vezes desconhecida?

Uma alimentação correta e equilibrada busca suprir as necessidades de nutrientes que o organismo precisa para se ter uma boa condição de saúde. (Lima 2003, pag. 43), afirma: ”Dize-me o que comes, que eu te direi como é sua saúde.”

2.2 Lanchonetes Escolares

O que dizer das lanchonetes, elaborar um projeto desenvolve ações junto às lanchonetes, promovendo a adequação da Lanchonete Saudável através de um manual com informações sobre alimentação saudável e cultura, higiene pessoal e alimentar, rotulagem e legislação sobre lanchonetes, que prevê a proibição da venda de alimentos ricos em gorduras e açúcares e, ainda, a realização de campanhas educativas para comunidade escolar. Inclui também atividade com os escolares e educadores, como as apresentações de teatro e desenvolvimento do plano de ação, respectivamente.

3 Conclusão

Cheguei à conclusão de que é possível ter uma alimentação equilibrada, balanciada sim, e esses hábitos e culturas alimentares vem de casa, ou seja, da família.

Para isso e preciso ter a família auxiliando no que se diz respeito à alimentação saudável.

A escola além de contribuir para que adquiram hábitos alimentares saudáveis, é o de proporcionar aos educando reflexão e discussão sobre o processo de Educação Nutricional, criando uma visão crítica sobre o tema.

Ter uma alimentação saudável é um dos pontos fundamentais para a manutenção e melhora da qualidade de vida dos seres humanos. Os alimentos fornecem energia e garante um bom funcionamento do organismo, garantindo assim um bom cresimento dos educando.

4 Referências

DESPAIN, J. J. A bebida perfeita. Vida e Saúde. São Paulo: Casa Publicadora Brasileira. Ano 63, n. 12, p. 18. Dez. 2001. ISSN 1413-0882.

FREIRE, João Batista. Educação de corpo inteiro. São Paulo: Scipione, 1989.

LIMA, Joseni França O. Você é o que come. Vida e saúde. São Paulo: Casa Publicadora Brasileira, ano 65, n. 10, p. 42 e 43, out. 2003. ISSN 1413-0882.

WEIS, Bruno Chaim, Nuria Abrahão, Belik, Walter. Manual de gestão eficienete da merenda escolar. 2. ed.São Paulo, Apoio Fome Zero, 2005.

Autor: Eliane Justi

SALVE ESTA MATÉRIA!

Deixe uma resposta